Você quer amar a vida e ver dias felizes?

por Aluízio A. Silva, pastor presidente da Videira – Igreja em Células

Pois quem quer amar a vida e ver dias felizes refreie a língua do mal e evite que os seus lábios falem dolosamente; aparte-se do mal, pratique o que é bom, busque a paz e empenhe-se por alcançá-la. Porque os olhos do Senhor repousam sobre os justos, e os seus ouvidos estão abertos às suas súplicas, mas o rosto do Senhor está contra aqueles que praticam males. (1Pe 3.10-12)

Amar a vida e desejar viver dias felizes nem sempre são considerados anseios legítimos entre os cristãos. Lamentavelmente, muitas pessoas alimentam ideias erradas a respeito de Deus. Acreditam, por exemplo, que Deus deseja enviar doenças e enfermidades ao seu povo. Um Deus que manda doenças certamente não quer que amemos a vida ou que tenhamos dias felizes.

O Senhor Jesus curou todos os enfermos que vieram a Ele, mas nem uma única vez Ele enviou doença sobre alguém. A vontade de Deus é que amemos a vida e tenhamos dias felizes.

No céu, não haverá enfermos e nem hospitais, por isso o Senhor Jesus ensinou que devemos orar para que a vontade de Deus seja feita na terra assim como é no céu. A vontade de Deus é que amemos a vida e desfrutemos de dias felizes.

É muito bom acordar de manhã e poder dizer: “Eu amo estar vivo! Eu amo esta vida!” Infelizmente, muitos acreditam que a vida cristã é uma vida de sofrimento e privação, sem prazer ou alegria. Mas é o contrário disso. Na presença do Senhor, há plenitude de alegria.

E como podemos amar a vida e ver dias felizes? Pedro nos dá a resposta. A Palavra de Deus é a revelação da sua vontade, e o plano de Deus para os seus filhos é que tenhamos o tipo de vida que Ele sonhou para nós. 

Refreie a língua do mal

O conceito comum é que refrear a língua do mal é não falar obscenidades e vulgaridades. Evidentemente, não vamos falar tais tipos de palavras, mas eu creio que Pedro está falando de algo mais profundo. Quando o povo de Israel estava para entrar em Canaã, eles ouviram o relatório dos espias que falaram coisas ruins a respeito da terra prometida.

E, diante dos filhos de Israel, infamaram a terra que haviam espiado, dizendo: A terra pelo meio da qual passamos a espiar é terra que devora os seus moradores; e todo o povo que vimos nela são homens de grande estatura. (Nm 13.32)

Falar mal é falar com incredulidade, falar de forma negativa, falar o oposto do que Deus disse. Deus disse que era uma terra que manava leite e mel, mas eles disseram que era uma terra que devorava os seus moradores.

Você está em Cristo. Hoje, Deus não olha para você, mas olha para Cristo como seu representante. Pois assim como Ele é, nós somos neste mundo. A questão já não é: “Será que estou agradando a Deus?”, mas: “Cristo está agradando a Deus?”

Um grande problema é tentar se relacionar com Deus baseado no seu próprio eu. Você olha o que deveria ser, e como não consegue ser, então fica deprimido. É daí que vem todo estresse e cansaço da alma. Quanto mais ocupado pensando em si mesmo, mais angústia você sente, mas quanto mais ocupado olhando para Cristo, mais liberdade experimenta.

Provérbios 18.21 diz que, na sua boca, está o poder da vida e da morte. Você vai ter vida ou morte, tudo depende daquilo que você diz. Você vai ou não amar a vida, tudo depende do que você confessa. Você pode abrir a sua boca e liberar a palavra para ver dias felizes.

Você pode fazer isso porque é filho. Como filho, você recebeu autoridade para mandar que as montanhas se lancem no mar. Você nunca alcançará o palácio falando como camponês, é hora de mudar sua postura. Você tem a identidade de filho de Deus. Veja-se como filho de Deus. Ande como filho de Deus. O mundo espiritual vai respeitá-lo se você respeitar o que Deus diz a seu respeito. O diabo vai respeitá-lo quando você concordar com o que Deus diz a seu respeito.

Aparte-se do mal

Eu gosto sempre de dizer que não há nada bom que eu possa fazer para Deus me amar mais. E também não há nada errado que eu venha a fazer que o faça me amar menos.

Entretanto, eu preciso dizer ainda outra verdade. Depende de mim o fato de Deus estar satisfeito comigo ou não. Minhas filhas aprenderam isso bem cedo. Uma coisa é o meu amor por elas, outra coisa a minha satisfação com elas. Muitas pessoas presumem que, uma vez que Deus as ama, Ele está satisfeito com elas.

É por isso que também nos esforçamos, quer presentes, quer ausentes, para lhe sermos agradáveis. (2Co 5.9).

Muitas vezes, quando as pessoas entendem as boas novas do evangelho, elas concluem que agora seu estilo de vida não importa mais. É verdade que o nosso estilo de vida não vai determinar se Deus nos ama ou não, mas o nosso estilo de vida ainda é importante. Lembre-se de que mesmo que Ele nos ame, Ele pode não estar satisfeito conosco.

A vontade de Deus é que nos apartemos do mal para o nosso próprio bem. O pecado tem consequências que fazem com que não amemos a vida.

E nós podemos dizer não ao pecado porque temos provado da graça de Deus. Quando provamos da graça de Deus, espontaneamente nos apartamos do mal e do pecado, porque desejamos agradá-lo.

Porque o pecado não terá domínio sobre vós; pois não estais debaixo da lei, e sim da graça. (Rm 6.14).

A Palavra de Deus diz que aqueles que receberam a graça já não estão debaixo do domínio do pecado. Um grande sinal de que alguém provou da graça é que ele tem vitória sobre o pecado.

Mas como a graça pode nos ajudar a vencer o pecado? Simplesmente porque, quando sabemos que fomos perdoados, somos conquistados pelo amor de Deus, e isso nos afasta do pecado. Quanto mais nos sentimos amados, mais nos afastamos do pecado e procuramos agradar a Deus. É um fato da vida que filhos que se sentem amados serão mais obedientes que filhos que não se sentem amados. 

Busque a paz

Existe a paz que temos para com Deus. Não precisamos buscar essa paz porque já a temos, porque fomos justificados (Rm 5.1). Mas há uma paz que é o descanso. Essa paz precisamos buscar. A paz e o descanso é a Canaã do Novo Testamento. Isso está claro em Hebreus 4. A escritura nos adverte que o povo de Israel não entrou no descanso de Canaã, e hoje precisamos entrar no descanso da vida em Cristo.

Quando Deus livrou o povo de Israel da escravidão do Egito e os conduziu para Canaã, Ele fez questão de mencionar que o povo não precisaria fazer coisa alguma. Eles entrariam em casas que não tinham construído, poços que não tinham cavado e plantações que não tinham semeado. Eles iriam participar da bênção da obra completa de Deus.

Havendo-te, pois, o SENHOR, teu Deus, introduzido na terra que, sob juramento, prometeu a teus pais, Abraão, Isaque e Jacó, te daria, grandes e boas cidades, que tu não edificaste;  e casas cheias de tudo o que é bom, casas que não encheste; e poços abertos, que não abriste; vinhais e olivais, que não plantaste. (Dt 6.10-11).

O mesmo princípio se aplica à obra de Cristo. Se Adão já recebeu o jardim pronto e o povo de Israel herdou uma nação pronta, nós também recebemos uma salvação completa.

A maior de todas as bênçãos que recebemos é a salvação, e ela é recebida quando descansamos. Se a salvação é recebida assim, por que as outras bênçãos nos seriam dadas de outra forma? Todas as bênçãos são recebidas pelo descanso da fé. Deus deseja que vivamos no descanso porque a fé é o descanso.

No Salmo 23, a primeira coisa que o Senhor faz é nos levar para repousar em pastos verdejantes e descansar junto das águas tranquilas. Assim, a primeira condição para termos a provisão de Deus é o descanso.  O suprimento só flui quando descansamos em Deus.

O SENHOR é o meu pastor; nada me faltará. Ele me faz repousar em pastos verdejantes. Leva-me para junto das águas de descanso. (Sl 23.1-2)

Podemos ver o mesmo princípio no Salmo 91. Todas as bênçãos que o salmista descreve estão disponíveis somente para aquele que está descansando na sombra do Onipotente.

O que habita no esconderijo do Altíssimo e descansa à sombra do Onipotente. (Sl 91.1).

O suprimento de Deus está disponível para aquele que descansa no seu poder. O poder de Deus é liberado quando entramos no descanso. O descanso é a expressão mais poderosa de fé.

Porque assim diz o SENHOR Deus, o Santo de Israel: Em vos converterdes e em sossegardes, está a vossa salvação; na tranqüilidade e na confiança, a vossa força, mas não o quisestes. (Is 30.15).

A prosperidade e o sucesso vêm quando temos grandes ideias, e as novas ideias fluem quando estamos relaxados. A visão e os sonhos se renovam quando entramos no descanso.

Em Êxodo 17, Amaleque veio guerrear contra Israel em Refidim. A palavra “Refidim” significa “lugar de descanso”. Amaleque sempre vem para lutar contra você no seu lugar de descanso. A palavra “Amaleque” vem de outra palavra hebraica, amal, que significa “dor, fardo pesado e trabalho árduo”. Veja que isso é exatamente o oposto de descanso.

Deus disse que haveria guerra permanente contra Amaleque. Isso significa que esta é a única guerra para a qual somos chamados: a guerra do descanso. É a guerra para vencer a tentação de fazer as coisas em nossa própria força sem depender do poder de Deus.

Nós devemos, sim, lutar, pela alma dos homens, por nossa casa, nossa família, nossos filhos e cônjuge, mas essa luta precisa ser no descanso de quem sabe que a obra já foi completada.

Em Mateus 12.43, Jesus disse que, quando um demônio sai de uma pessoa, ele procura um lugar para descansar. Isso significa que o diabo não tem descanso, e seu alvo é fazer com que vivamos também sem descanso, em preocupação, medo e angústia o tempo todo. Mas, quando entramos no descanso, nós retiramos todo espaço do diabo em nós. O inimigo não pode entrar onde existe o descanso de Deus.

Os olhos do Senhor repousam sobre os justos

Quem são os justos do Novo Testamento? Não são aqueles que obedecem aos mandamentos da lei, mas aqueles que receberam o dom da justiça. A justiça na Nova Aliança é um dom que recebemos de Deus. Não vem de nossas obras, mas da fé (Rm 5.17).

Seu direito de ser justo foi comprado pelo sangue de Jesus. Mas muitos crentes ainda vivem debaixo de condenação e acusação. Não podemos amar a vida se estamos sempre sentindo condenação e acusação em nossa mente. Não temos como esperar viver dias felizes se estamos sempre com a expectativa de que coisas ruins vão acontecer conosco por causa de nossos pecados.

Mas quando entendemos que fomos completamente perdoados e fomos feitos justos diante de Deus, então já não tememos o futuro, mas cremos que Deus nos ama e está preparando coisas boas para nós.

Pedro diz que os olhos do Senhor repousam sobre os justos, e os seus ouvidos estão abertos às suas súplicas. Se Deus ouve nossas orações, então podemos ter certeza de que amaremos a vida e teremos dias felizes.

A razão por que muitos crentes vivem uma vida infeliz e nem mesmo amam a vida é porque acreditam na mentira de que Deus está zangado com eles. Estão sempre com a sensação de que não fizeram o suficiente e se sentem sempre em falta. Por causa disso, vivem uma vida que, na verdade, não amam. A verdade é que algumas vezes creem que Ele os ama, mas quase sempre sentem que Deus esta zangado com eles. Simplesmente não dá para amar a vida e ver dias felizes vivendo desse jeito.

Por causa da obra consumada de Jesus, a ira de Deus não pode mais estar sobre nós. Se toda a ira já caiu sobre Jesus, então Ele não pode estar irado conosco. Não estamos mais debaixo da velha aliança segundo a qual Deus às vezes estava feliz com você e às vezes estava zangado. Hoje, Ele tem total prazer em você por causa de Jesus.

Não há nada que você possa fazer para Deus amá-lo mais e não há nada que você faça que o leve a amá-lo menos.

Perguntas para compartilhar:

– De qual maneira você tem se relacionado com Deus?
– Como têm sido os seus dias?
– O descanso tem sido parte das guerras que você tem enfrentado?

© 2017 Igreja Videira. Todos os direitos reservados | Desenvolvido por Alisson Martins