Você pode prosperar em tempos de crise

por Aluízio A. Silva, pastor da Videira em Goiânia

Sobrevindo fome à terra, além da primeira havida nos dias de Abraão, foi Isaque a Gerar, avistar-se com Abimeleque, rei dos filisteus. Apareceu-lhe o SENHOR e disse: Não desças ao Egito. Fica na terra que eu te disser; habita nela, e serei contigo e te abençoarei; porque a ti e a tua descendência darei todas estas terras e confirmarei o juramento que fiz a Abraão, teu pai. Multiplicarei a tua descendência como as estrelas dos céus e lhe darei todas estas terras. Na tua descendência serão abençoadas todas as nações da terra; porque Abraão obedeceu à minha palavra e guardou os meus mandados, os meus preceitos, os meus estatutos e as minhas leis. Isaque, pois, ficou em Gerar. Perguntando-lhe os homens daquele lugar a respeito de sua mulher, disse: É minha irmã; pois temia dizer: É minha mulher; para que, dizia ele consigo, os homens do lugar não me matem por amor de Rebeca, porque era formosa de aparência. Ora, tendo Isaque permanecido ali por muito tempo, Abimeleque, rei dos filisteus, olhando da janela, viu que Isaque acariciava a Rebeca, sua mulher. Então, Abimeleque chamou a Isaque e lhe disse: É evidente que ela é tua esposa; como, pois, disseste: É minha irmã? Respondeu-lhe Isaque: Porque eu dizia: para que eu não morra por causa dela. Disse Abimeleque: Que é isso que nos fizeste? Facilmente algum do povo teria abusado de tua mulher, e tu, atraído sobre nós grave delito. E deu esta ordem a todo o povo: Qualquer que tocar a este homem ou à sua mulher certamente morrerá. Semeou Isaque naquela terra e, no mesmo ano, recolheu cento por um, porque o SENHOR o abençoava. Enriqueceu-se o homem, prosperou, ficou riquíssimo; possuía ovelhas e bois e grande número de servos, de maneira que os filisteus lhe tinham inveja. (Gn 26.1-14)

 

A Palavra de Deus nos mostra que há tempos de crise. Deus não envia a crise, mas Ele certamente usa os tempos de crise para demonstrar os seus recursos ilimitados e expor as limitações humanas.

Isaque foi alguém que prosperou no meio de um tempo de fome. Não havia chuva e a semente mirrava sobre a terra, mas ele semeou e colheu cem vezes mais mesmo no tempo de crise.

Isaque é um tipo do crente da Nova Aliança. Isaque não conquistou coisa alguma, mas recebeu tudo de seu pai. Ele é o símbolo do herdeiro. Todas as coisas foram preparadas para ele simplesmente porque era filho (Gl 3.29).

Hoje, nós somos os filhos de Abraão. Estamos em Cristo e por isso somos a verdadeira semente de Abraão. Somos herdeiros da promessa.

Nesse texto, nós encontramos Isaque, o herdeiro da promessa, enfrentando a fome, mas prosperando muitíssimo mesmo em tempos de muita crise. Vamos ver quais princípios espirituais o capacitaram a vencer naquele tempo de crise.

 

  1. Um tempo de transferência de riqueza (vv. 1-5)

Deus disse a Isaque que não descesse ao Egito, mas que ficasse ali, pois aquela terra seria dele. Todavia, naquele momento, Abimeleque era o rei do lugar onde Isaque habitava. Isso significa que, em algum momento, Deus iria transferir a posse daquela terra com toda a sua riqueza para Isaque e sua descendência.

Deus, porém, jamais faz coisa alguma de forma injusta ou ilegal. Como ele pode transferir riquezas? Suponha que você tenha uma casa e tenha ficado longe por muito tempo; quando volta, encontra pessoas que a invadiram. Você é o dono, mas outros a invadiram. Você pode ir à justiça para tê-la de volta. Deus é o dono da terra, mas outros tomaram posse, no entanto Deus continua sendo o proprietário.

A transferência de riqueza acontece em tempos de crise. Foi numa época de crise que Deus colocou José para ser o segundo na corte de Faraó.

 

  1. Não desça ao Egito (v. 2)

O Senhor disse a Isaque que permanecesse na terra e não descesse ao Egito. Deus somente pode nos abençoar se permanecemos na posição certa. Qual o significado do Egito? (Dt 11.10-11).

O Egito é um símbolo da vida natural que não depende de Deus. Quando dependemos dos recursos naturais, nós olhamos para baixo, procuramos por algo em que possamos confiar. No Egito, nós andamos por vista, e não por fé.

Mas em Deuteronômio lemos que a terra prometida depende da chuva que vem do céu. No Egito, as pessoas olhavam para o chão enquanto semeavam, mas em Israel as pessoas olham para o céu esperando a chuva de Deus. Isso faz com que andemos por fé, e não por vista. A bênção acontece quando dependemos de Deus.

Se você anda por vista, nunca encontrará nada ao redor que satisfaça suas expectativas e lhe dê segurança. O Egito é um tipo espiritual que simboliza a vida natural, a qual atenta apenas naquilo que é temporal. Mas se andamos por fé, nós atentamos naquilo que é invisível e eterno.

Na Terra Santa, Isaque precisava depender da chuva que vem do céu. Se a chuva não viesse, nada poderia frutificar. Deus ama quando vivemos por fé na sua graça. Mas é preciso deixar de olhar para o chão e olhar para o céu.

Não vá para o Egito. Não ande por vista. Não procure outros meios para não precisar depender de Deus.

 

  1. Você é abençoado apesar de suas falhas

Todas as vezes que a Bíblia menciona a esposa de um homem de Deus, ela afirma que era formosa. Rebeca também era uma mulher muito bonita. Isso certamente é parte da herança dos filhos de Abraão.

Agora chegamos a uma situação constrangedora. Isaque mentiu. Alguns dizem que, quando você mesmo causa o problema, Deus não o ajudará. Esta é uma questão para a qual precisamos ter uma resposta, pois há muitos problemas que nós mesmos provocamos.

No Salmo 23, lemos que o Senhor é o nosso pastor e Ele nos leva para águas tranquilas e pastos verdejantes, Ele nos guia pelas veredas da justiça, mas depois o salmo diz que, “ainda que eu ande [não fui levado ou guiado] pelo vale da sombra da morte, não temerei mal algum, pois tu estás comigo”. Deus não diz: “Que pena! Você andou pelos seus próprios caminhos e entrou no vale da sombra da morte. Agora se vire para sair daí!” Ele não fica cuidando das noventa e nove e deixa a extraviada se perder, mas sai em busca dela. Deus não nos abandona quando bagunçamos as coisas, mas continua conosco.

Isaque mentiu, e isso certamente é errado, mas mesmo assim Deus o livrou. Abimeleque poderia tê-lo matado para ficar com Rebeca, mas em vez disso protegeu os dois. Nós ficamos confusos quando Deus nos livra mesmo quando nós é que fizemos a bagunça, mas esta é a graça de Deus, a sua bênção é justamente para quem não merece.

Mesmo quando você mesmo causou os seus problemas, se você clamar a Deus, Ele virá em seu socorro (Lc 15.13-14). Um grande exemplo dessa verdade é o filho pródigo.

O filho pródigo saiu de casa e esbanjou toda a herança que tinha recebido. Quando tinha perdido tudo, então veio a fome veio sobre a terra. Foi nesse momento que ele caiu em si e resolveu voltar para a casa de seu pai.

Depois que gastou toda a sua fortuna, veio uma severa fome na terra, mas na casa do Pai havia pão em abundância. Alguns pensam que a verdadeira prosperidade está lá fora, mas só há abundância na casa de Deus. O fato de haver um novilho cevado era sinal de que havia abundantes recursos, pão em abundância a ponto de poderem engordar um boi.

Quando ele voltou para casa, seu pai não falou coisa alguma a respeito do dinheiro perdido, desperdiçado, ele apenas disse: “Matem o novilho! Eu tenho mais para gastar com você!”

A parábola diz que o filho voltou porque havia uma grande fome, mas na casa do pai havia novilhos que foram engordados unicamente para o dia da festa. Pode haver fome lá fora, mas sempre haverá suprimento na casa de Deus.

 

  1. Você é abençoado apesar das circunstâncias (vv. 1,6)

Isaque prosperou porque ele semeou naquela terra onde havia fome. A terra estava seca e sem vida, porém ele tinha a bênção de Deus e por causa disso colheu cem vezes mais.  Em tempos de seca, o preço das comodities sobe muito, e foi justamente num tempo assim que Isaque teve uma supercolheita. Ele colheu em um ano o equivalente a um século. E tudo isso num ano de seca e de fome.

Isaque saiu com a sua semente vendo a poeira se levantar da terra seca, mas ele o fez por fé confiando que o Senhor o prosperaria.

Nós somos filhos de Abraão, e quando filhos de Abraão semeiam numa terra seca, eles colhem cem vezes mais. A bênção de Deus está sobre a semente de Abraão. A bênção e o favor de Deus é tudo de que precisamos. O mundo valoriza a habilidade e busca a sorte, mas os filhos de Abraão possuem o favor de Deus sobre sua vida.

Será que Isaque não sabia que havia uma seca? Como ele poderia plantar assim mesmo? Simplesmente porque estava debaixo do favor de Deus.

A vontade de Deus é a nossa prosperidade. Não seja hipócrita criticando a prosperidade dos filhos de Deus e ao mesmo tempo desejando prosperidade a todos a cada novo ano (Sl 35.27).

Deus tem prazer em que seus filhos prosperem, por isso não se envergonhe de buscar as melhores escolas para seus filhos, de desejar ter sua própria casa e seu carro. Deus quer que você prove do melhor e viva debaixo da bênção.

 

  1. Você é abençoado porque semeia

Existe algo de espiritual em toda semeadura. Ao semear, o lavrador precisa depender de Deus para que mande a chuva e faça a semente reviver no solo. Mas Deus não ressuscita apenas a semente, ele ressuscita a árvore que possui frutos, os quais carregam muitas sementes.

Semear e colher é a maneira de Deus de fazer-nos prosperar. Aquele que semeia precisa depender de Deus para que venha a chuva e aconteça a multiplicação.

Antes de semear, eu preciso experimentar a graça de Deus de colher o que nunca plantei. É só depois de ter descoberto que tudo o que você possui lhe foi dado graciosamente sem merecimento algum é que você se torna qualificado para ser um semeador. Em outras palavras, você precisa ter uma primeira semente para começar sua plantação, e de onde virá essa semente? Ela lhe será dada gratuitamente por Deus. Essa primeira semente não é fruto de semeadura, mas é a simples expressão da graça de Deus.

Ninguém realmente dá nada para Deus, apenas devolve o que recebeu, porque homem nenhum pode ter coisa alguma se do céu não lhe for concedido (Jo 3.27).

Mas depois que você experimenta a graça de ganhar a semente, você precisa semeá-la. Essa semeadura já é a sua recompensa, porque mais bem-aventurada coisa é dar do que receber (At 20.35).

 

  1. Você é abençoado no meio dos invejosos

O resultado inevitável da prosperidade é que pessoas terão inveja de nós. Essa inveja eventualmente se transformará em perseguição.

O Senhor Jesus prometeu que todo aquele que renunciasse a algo por amor a ele e ao evangelho receberia cem vezes mais. Esta também foi a medida com a qual Isaque foi abençoado.

Tornou Jesus: Em verdade vos digo que ninguém há que tenha deixado casa, ou irmãos, ou irmãs, ou mãe, ou pai, ou filhos, ou campos por amor de mim e por amor do evangelho, que não receba, já no presente, o cêntuplo de casas, irmãos, irmãs, mães, filhos e campos, com perseguições; e, no mundo por vir, a vida eterna. (Mc 10.29-30)

Qualquer coisa que sacrificamos por causa do Senhor e por causa do evangelho nós receberemos de volta multiplicados por cem.

O Senhor não diz que a recompensa virá no céu, mas afirma claramente que será no presente. Ele não diz que receberemos o cêntuplo de esposas. A promessa não se aplica ao casamento, porque a vontade de Deus não é que renunciemos ao casamento, mas que sirvamos ao Senhor juntos, como um casal. Mas receberemos cem vezes mais casas e campos que tenhamos sacrificado como semeadura por causa do Senhor e da sua casa. Entretanto, junto com a prosperidade, teremos também algo do qual não podemos escapar: a perseguição. Assim como Isaque, aqueles que prosperam são perseguidos. Mas não devemos ficar desanimados, porque no fim a promessa do Senhor é que podemos ter o melhor deste mundo e também do vindouro.

O mesmo Deus que abençoou Isaque também vai abençoar você. É preciso semear com a atitude de fé de que estamos debaixo do favor de Deus, porque em Cristo somos filhos de Abraão.

© 2017 Igreja Videira. Todos os direitos reservados | Desenvolvido por Alisson Martins