Três disciplinas espirituais que têm poder de mudar nossa vida

por Aluízio A. Silva, pastor presidente da Videira – Igreja em Células

Quero lhe ensinar maneiras práticas de aplicar a graça em sua vida, de viver nesse princípio de vida que traz o favor de Deus sobre nós. Uma maneira fácil de você aprender e memorizar.

  1. Viva baseado na fé, e não na obediência (Rm 1.16)

Muitas pessoas dizem: “O poder de Deus é a oração”. É verdade, a oração é poder, mas sem o evangelho ela perde o poder. Outros vão dizer: “O poder de Deus é o Espírito Santo derramado em nós”. É verdade, o Espírito Santo é poder, mas se não tiver o evangelho, não tem como o Espírito operar, porque o Espírito só age pelo evangelho. E o evangelho, o que é? É Cristo em nós, fazendo a obra através de nós!

Visto que a justiça de Deus se revela no evangelho, Deus é justo quando justifica você, Deus é justo quando o declara justo. Você agora é justo porque nasceu de novo, você morreu. O pecador que existia antes morreu na cruz, você agora é esse novo homem que está dentro de você. Uma vez que você está em Cristo e sua dívida foi paga, o seu pecado foi completamente apagado. Então, aos olhos de Deus, não há nenhuma condenação sobre você. Você é justo, mas aos olhos naturais você ainda peca.  Todos nós estamos sujeitos ao pecado, mas diante de Deus você agora é justo e é recebido por fé. A Bíblia fala que o justo vive pela fé (Rm 1.17).

Quando você baseia sua vida na obediência, normalmente não consegue ter fé, porque vai perceber que não consegue fazer tudo que deveria ter feito. A obediência nunca é completa, por isso você não confia nela. Então, de manhã, quando acordar, ao invés de avaliar o que tem feito, avalie aquilo em que você crê. O Velho Testamento era baseado na lei, e a lei é completamente baseada na obediência. Mas o Novo Testamento é baseado na obra de Cristo, não naquilo que você faz ou fez, no seu merecimento ou obediência, mas na obediência de Cristo. Então, o que se quer de mim é que eu apenas creia. Tudo aquilo que Ele fez agora se aplica em mim. Quando você acordar pela manhã, pratique isso. Quando baseamos nossa vida em nossa própria obediência, nós temos um problema.

O que é viver com base na lei? O que é lei? Lei é você obedecer para ser abençoado. Qual o veredito para estar debaixo de maldição? Os da fé são abençoados, e os que vivem pelas obras da lei são amaldiçoados (Gl 3.9). Este é o motivo por que existe muita maldição no meio dos crentes. Por que há tanta maldição? Por que ainda há muitos doentes entre nós? Por que há tanta pobreza e miséria ainda no meio dos crentes? Porque, em vez de viver por fé em Cristo, muitos ainda vivem por base na obediência. Quando, porém, você vive confiado na própria obediência, então você cai debaixo de maldição (Gl 3.8).

A bênção de Deus é somente para aqueles que vivem baseados na obra de Cristo, que vivem pela fé. Quando você vive nessa fé, o que acontece com você? A bênção e o favor de Deus estão sobre sua vida. Você precisa ter essa disciplina espiritual. Você está baseando sua vida no quanto tem obedecido ou no quanto tem crido? A obediência não é raiz, a obediência é consequência. Quando você faz da obediência a raiz, ela vira lei, Velho Testamento. Mas quando você transforma a raiz em fé, a verdadeira fé vai resultar em obediência, mas sem perceber, você obedece à vontade de Deus, porque aquilo se tornará natural para você. Cristianismo não é mudança de comportamento, mas mudança de vida. Cristianismo é uma questão de fé. Quando você crê que Ele vai transformá-lo de glória em glória, diante do desafio, você pensa no que tem obedecido ou no que tem crido? Se você avaliar segundo sua fé, a bênção vai alcançá-lo, mas se avaliar segundo sua obediência, não vai ter fé para expressar a obediência diante do Senhor.

  1. Viva pela provisão, e não pela demanda

Pense sempre em termos de provisão. Não pense em termos de demanda. Esta, mais uma vez, é só uma maneira diferente de fazer distinção entre Velho Testamento e Novo Testamento, entre a lei e a graça. O que é lei? Lei é demanda, lei é exigência, lei é Deus demandando algo do homem. O que é graça? Graça é provisão, é Deus suprindo-o para fazer aquilo que Ele mesmo exigiu. Na lei, Ele diz: “Faça!” Na graça, Ele diz: “Eu vou fazer para você!” Este é o segredo de viver em paz com Deus.

Se um pastor viver com a mentalidade de demanda, não vai conseguir ser pastor por muito tempo. O que é mentalidade de demanda? Coisas do tipo: “Nossa! Esse povo aqui é muito inteligente! Eles querem uma palavra profunda!” Aí o coração começa a ficar assustado. Quem vive pensando em demanda está sempre angustiado e preocupado. Pessoas que vivem com pensamento de demanda estão sempre naquele pensamento: “Ah! Se eu tivesse isso!” “Ah! Se eu tivesse aquilo!” Estão sempre pensando no que supostamente não têm. Isso gera na mente delas um senso de carência, porque toda demanda resulta em carência. Você não consegue suprir, mas se você tem a mentalidade de suprimento, você vai dizer que o Senhor já lhe deu e que você não está vendo, mas Deus já mandou a provisão.

Quem vive em termos de demanda está sempre debaixo de pressão e angústia. Este é o tipo de pensamento que o diabo gosta de produzir em você: demanda, faça, faça! Você tem que ser perfeito, tem que fazer isso ou aquilo. Quem pensa em suprimento descansa, porque o meu Deus, em sua riqueza e glória, supre todas as nossas necessidades, porque somos abençoados com toda sorte de bênçãos. O que define minha identidade não é aquilo que eu faço, mas aquilo que Ele fez. O que define você não é aquilo que você realiza, mas aquilo que Ele já realizou por você, a obra está consumada.

Por que muitos não querem liderar na igreja? Porque vivem no padrão de pensamento assim: “Se eu for líder, vou ter que saber dar direção, vou ter que levar a célula a multiplicar, vou ter que fazer um monte de coisas”.  Qual é o pensamento deles? A base é demanda, exigência. Eles olham para si e falam que não conseguem, que está além de sua capacidade. Mas se você já disciplinou sua mente para pensar em termos de provisão, você não tem demanda. Se vier o desafio para liderar, você não pensa que tem que ter a palavra, você pensa que o Senhor já lhe deu a palavra, que o Espírito do Senhor está em você, e quando precisar falar, Ele vai encher a sua boca. Este é o líder que frutifica, que avança. Não viva dependendo de você, não raciocine em termos de demanda, mas em provisão de Deus.

Jesus nunca pensava em termos de demanda, mas de suprimento. Os discípulos falaram a Jesus que teriam de mandar o povo embora se não eles iriam morrer de fome.  E o que o Senhor disse? Dê vocês comida a eles. Felipe fez as contas e disse ao Senhor: “Vamos precisar de tantos mil denários para suprir esse povo todo”.  Pensamento de demanda gera sempre desânimo e frustração. O Senhor falou para dar alimento ao povo. O mesmo Deus que permite a demanda Ele próprio vai trazer o suprimento.

Aqueles cinco pães e dois peixes eram suprimento. O Senhor pensa com base no suprimento. Isso não é somente na área financeira, mas também em todas as áreas da sua vida. Você precisa mudar seu condicionamento mental. Quando você muda sua maneira de pensar, quando resolve pensar de acordo com o Novo Testamento em termos de provisão, a ansiedade e o peso desaparecem da sua vida e surge no lugar uma santa expectativa no que vai acontecer. A graça do Senhor não é uma doutrina para você aprender teoricamente, é algo para você viver no seu dia a dia.

  1. Viva pela obra consumada, e não pela obra que ainda está para ser feita 

Infelizmente, muitos de nós invertermos a ordem de Deus. Transformamos a obra consumada de Cristo em um alvo que precisamos atingir, e não em algo que já foi realizado. No Velho Testamento, tudo estava por vir, tudo estava para ser feito, mais quando Cristo veio na cruz do Calvário, Ele disse: “Está consumado!” Você não foi convidado para participar de uma obra e terminá-la agora, Cristo já fez tudo.

Vamos pensar em ser justo. Se você acha que não é, você começa a vida cristã como? “Eu preciso obedecer para então ser justo”. Quem vive assim nunca recebe nada de Deus, porque em sua vida a obra ainda vai ser feita. Você começa a vida cristã como? Já estando salvo ou para ser salvo no fim? Você começa salvo e está na caminhada, mas na caminhada já é salvo. As coisas estão consumadas. Agora, a mesma cruz que diz que você foi salvo diz que você foi curado. A cura está no pacote da sua salvação. Como você diz que já é salvo, mas não é curado? A salvação incluiu cura em sua vida também. Quando você vive com base na obra consumada, todo seu raciocínio já foi feito. Eu não vou fazer, Cristo já fez.  Por que não estou vendo? Porque é por fé. Fé é a certeza de coisas que você não vê. Então, você caminha com base em algo que já foi realizado na cruz do Calvário. Não faça da obra consumada seu alvo final.

A Bíblia diz que um dia Jesus chegou para ensinar algo aos discípulos e contou uma parábola (Lc 18.10). Um pecador e um publicano subiram para orar, e o fariseu olhou para o pecador e disse: “Senhor, eu te dou graças, porque dou meu dízimo, lidero célula, vou ao culto todo domingo e não levo uma vida como este pecador ao meu lado”. E o pecador, por sua vez, nem ousava erguer os seus olhos para o céu, mas batia no peito e dizia: “Tem misericórdia de mim, que sou pecador”. O Senhor disse: “Qual dos dois foi embora para casa justificado? Foi o pecador (Lc 18.10-14).

Este texto não está lhe ensinando a maneira de relacionar com Deus, mas a maneira de ser salvo. Quem será salvo é aquele que, ao ser feito o apelo, vem à frente chorando, batendo a mão no peito, pedindo misericórdia ao Senhor. E depois que é salvo, ele vai continuar orando assim? Esta é a questão. Muitos de nós, depois de salvos, continuamos orando como se não fôssemos.

Então alguém diz: “Mas está escrito, foi Jesus que disse”. Não, Ele disse para fazer isso só no primeiro dia. Depois que você faz a oração, você vira filho. Quando tiver um problema, que oração você deve fazer? “Pai, eu sou teu filho e é o seguinte: estou precisando de um carro novo”. Você não discute mais pecado com o Pai. Você não discute mais comportamento com o Pai. Ele é seu Pai. Você é filho, é herdeiro. Você não é herdeiro porque se comporta bem, você é herdeiro porque é filho: “Tendo sido, pois, justificados pela fé” (Rm 5.1). Você é justificado de que jeito? Pela fé! Quem vive por fé experimenta a justiça de Deus. Quem viver por obediência não.

Temos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo. O resultado dessa justiça é paz, por meio de nosso Senhor Jesus Cristo, por quem obtivemos também nosso acesso pela fé a essa graça, na qual estamos firmes. O que eu estou lhe ensinando é: fique firme na graça de Deus. Só estou lhe ensinando maneiras diferentes de ver a graça de Deus, mas é graça de Deus.

“Pois, quando ainda éramos fracos, Cristo morreu a seu tempo pelos ímpios” (Rm 5.6). Cristo morreu por quem? Pelos ímpios. Você era ímpio antes, por isso Ele morreu por você. Depois diz mais: “Mas Deus dá prova do seu amor para conosco, em que, quando éramos ainda pecadores, Cristo morreu por nós” (Rm 5.8). Cristo morreu por você quando você era, não é mais.  “Não pastor, mas eu peco ainda, então eu sou pecador!” Mas aqui diz que Ele morreu quando você era. “Mas eu ainda sou pecador”, é o que talvez você esteja dizendo: Porque se nós, quando éramos inimigos, fomos reconciliados com Deus pela morte de seu Filho, muito mais, estando já reconciliados, seremos salvos pela sua vida (Rm 5. 10).

Você era ímpio, pecador e inimigo. Mas, se pecar contra Deus, seremos inimigos? Não tem como ser nenhum desses, porque somos filhos de Deus. Você foi gerado de Deus, gerado filho, Deus é santo e gerou você santo, pois em Cristo você é santo, mas ainda há irmãos que estão tentando largar de ser aquilo que não são mais, tentam mudar o que já foi mudado.

O que diabo tenta fazer com você é isso, fazê-lo achar que é pecador porque peca, mas o que o define não é sua obra, o que o define é a obra de Cristo. Você pode até saber fazer pão, embora não seja padeiro. No lugar do pão, coloque o pecado. Você sabe fazer pecado, mas não é mais pecador. Se você fala isso, aí volta para a oração do pecador e do publicano. Deus só pode honrá-lo quando você honra a obra do Calvário. Quando você concorda e diz: “É verdade, se Ele diz que na cruz eu sou santo, eu já sou santo e justo”. Isso não é uma operação de faz de conta, é viver de acordo com o que Deus vê. Se você vive nessa dimensão clara, eu garanto que você vai experimentar de vida abundante todos os dias.

Perguntas para compartilhar:

– Qual tem sido a base em sua vida?
– O que é preciso para viver pela provisão?

© 2017 Igreja Videira. Todos os direitos reservados | Desenvolvido por Alisson Martins