Sua fraqueza é uma fonte de poder

Graça sobre graça – a palavra aqui é também “ante”, “graça ante graça”. Ante” não quer dizer apenas “contra”, tem o mesmo sentido de uma onda sobre outra onda, continuamente (uma após a outra).
Podemos deixar de receber essa graça quando tentamos fazer ela fluir por nós mesmos, uma oração errada, por exemplo, em desespero. Moisés orou diante do mar e Deus apenas disse-lhe: “Diga ao povo que marche”. Há uma ora de orar e uma de marchar, porque a graça já está ali, apenas prossiga.
Aquele, pois, que vos concede o Espírito e que opera milagres entre vós, porventura, o faz pelas obras da lei ou pela pregação da fé? (Gl 3.5)

Ele nos concede fluxo contínuo. Em todo o tempo, Ele está lhe dando da plenitude do Espírito, é algo que Ele já está fazendo. Viva com essa consciência de constante favor em sua vida. Na área que o pecado abundou em sua vida, superabundará a graça. No lugar da sua fraqueza, o Senhor lhe dará graça. Veja a genealogia de Jesus, há ali muitas pessoas desqualificadas. É Deus nos dizendo que o nosso passado não define o nosso futuro. E, mesmo com todas as nossas bagunças, a sua graça nos ajuda.

1- A graça nos basta ainda hoje
Então, ele me disse: A minha graça te basta, porque o poder se aperfeiçoa na fraqueza. De boa vontade, pois, mais me gloriarei nas fraquezas, para que sobre mim repouse o poder de Cristo. (2Co 12.9, grifo nosso).

Paulo tinha um problema terrível em sua vida, que muito provavelmente eram os seus perseguidores legalistas que o atormentavam por onde ele ia, um espinho na sua carne. Ele, então, pede ao Senhor que o remova, mas a resposta do Senhor é que a sua graça bastava. Ainda hoje, ela nos basta. Queremos que os problemas sejam removidos, Deus nos dá graça sobre eles. Seja o que for que você estiver passando, a graça é suficiente, porque o poder se aperfeiçoa na fraqueza. Esse poder é o dunamis de Deus, seu poder miraculoso. Jesus usou essa palavra, dunamis, para falar que operava milagres. Ele está nos dizendo que, onde não há fraqueza, o poder da graça não pode fluir. A graça não é atraída pela sua força, e sim pela sua fraqueza. Pare de tentar ser forte com a sua própria vontade. Deus sempre vai usar o seu pior para que a glória seja d’Ele. Abra a sua fraqueza para Ele e Ele vai manifestar poder ali.

O seu poder se aperfeiçoa, tem lugar para fluir e ser completo como água no cano, na sua fraqueza, e não na sua força. Eu conheço testemunho de grandes pregadores que eram gagos ou tinham grande dificuldade na dicção. Receberam poder na fraqueza ao apelarem para a graça. A fraqueza dele existia para que Deus manifestasse o seu poder. A boca que envergonhava agora está sendo usada para ser boca de Deus, pela sua graça, para transformar vidas. Por isso, Paulo diz: “De boa vontade, pois, mais me gloriarei nas fraquezas, para que sobre mim repouse o poder de Cristo”. Nós nos gloriamos com boas conquistas, falamos da nossa força, realizações. Quando apareceu aos discípulos, Jesus mostrou suas marcas para dizer que Ele também sofreu, para se identificar conosco. Os sinais dos cravos era para dizer que a “fraqueza” foi a  porta da ressurreição. Pelos seus cravos, onde Ele sofreu, veio nossa vitória, esse princípio não muda.

Quando você encontra pessoas que já passaram pela mesma luta que a sua, elas têm mais poder para ajudá-lo. Qual é a sua fraqueza? Medo, timidez, insegurança? Já se gloriou nisso? Fraqueza é astheneia” – falta de habilidade para aquela área.  Paulo diz que tem prazer nisso, isso é muito radical. Aguentar é uma coisa, mas ter prazer não entendemos. Certamente, Paulo viu algo que não vimos. Pelo que sinto prazer nas fraquezas, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias, por amor de Cristo. Porque, quando sou fraco, então, é que sou forte. (2 Co 12.10). “Sobre mim repouse o poder de Cristo […]“ (v. 9). “Repouse” é “episkenoo”, é tabernáculo, fazer casa do poder de Cristo apropriando-se de alguém. Nem todos têm o poder de Cristo como tabernáculo sobre si mesmos. É quando o poder não apenas vem, ele vem e faz uma tenda sobre mim. Não importa o que me acontece ou o que vem contra mim, eu estou escondido dentro do tabernáculo, e aquilo não pode me atingir. Achamos que crescer na fé é ficar tao forte que não esmorece mais, mas crescimento é quando você tem mais luz. Você vê mais as suas falhas e fraquezas, mas vê mais a graça de Deus suprindo-o em cada uma delas.  É quando você está mais consciente do suprimento d’Ele em sua vida.

Crescer na fé não é não ter fraquezas, é saber que elas existem, mas estão supridas n’Ele. Você está vendo o seu suprimento. Crescemos na consciência de que somos justos ao olhar cada vez mais para Ele. A carne está presente para lembrarmos que precisamos d’Ele. Você está anulando a graça tentando mostrar a sua força, quando Deus está pedindo sua fraqueza. Ele quer manifestar a sua graça. Não anulo a graça de Deus; pois, se a justiça é mediante a lei, segue-se que morreu Cristo em vão. (Gl 2.21)Quanto você não depende da justiça de Cristo, mas da sua, você anula a graça.  Sempre que achar que é bom e pode, a graça é anulada. Quando não preciso da ajuda de Deus, estou dizendo que Cristo morreu em vão e não recebo poder. Anular é frustrar a graça. Não frustramos quando pecamos, ainda que seja errado, mas frustramos quando achamos que, porque somos certos, temos a graça, pois merecemos e aí não vemos o fluir do favor de Deus.

Noemi disse a Ruth. “Assenta-te ao pé daquele homem, Boaz, porque ele não vai descansar até resolver o seu problema”. Quando você se assenta aos pés do seu resgatador, Ele não vai descansar até lhe dar a resposta. Graça vai fluir, porque a fraqueza foi exposta. Jacó só foi mudado quando sua força foi vencida, e sua fraqueza, exposta, quando sua coxa foi quebrada. Tornou-se Israel quando se tornou fraco. O poder se manifestou na fraqueza. Deus pergunta: “Você tem fraqueza?” Ele está procurando alguém hoje para manifestar poder. Eu creio que Sansão era fraco, pois a sua força era sobrenatural, e nisso estava a glória de Deus. Se ele fosse forte, ninguém saberia que era Deus.

O que Deus faz na sua vida Ele faz para que ninguém duvide que foi Ele quem fez. Se tem uma parte sua, não tem glória de Deus. As parábolas de Jesus eram todas de graça. É o menor, o perdido, o fraco. O mundo diz que, quanto mais forte você é, mais poder você tem. Deus diz que, quanto mais fraco, mais forte você é. O humilde receberá graça, mas o soberbo será abatido. A água corre para os lugares mais baixos, o lugar na humildade.

2- Fomos restituídos pelo que roubamos
Será, pois, que, tendo pecado e ficado culpada, restituirá aquilo que roubou, ou que extorquiu, ou o depósito que lhe foi dado, ou o perdido que achou, ou tudo aquilo sobre que jurou falsamente; e o restituirá por inteiro e ainda a isso acrescentará a quinta parte; àquele a quem pertence, lho dará no dia da sua oferta pela culpa. (Lv 6.4,5, grifo nosso). Deus assegura que o prejudicado sempre será restituído e acrescentado – 120%. São mais que os cabelos de minha cabeça os que, sem razão, me odeiam; são poderosos os meus destruidores, os que com falsos motivos são meus inimigos; por isso, tenho de restituir o que não furtei. (Sl 69.4, grifo nosso).

Este é um salmo messiânico, aponta para Jesus. Ele tomou o lugar do ladrão, o nosso lugar. Nós tínhamos que pagar, mas Ele tomou o nosso lugar e restituiu, então, o que Ele não furtou.  Nós somos o ladrão, mas na cruz Ele é que foi roubado, nos restituiu a nós, que éramos o ladrão, isso é graça. Ele tomou  nosso lugar para nos colocar na condição de vítima e sermos o candidato da restituição. Mas também se você foi “roubado”, “traído”, “enganado”, Ele é também o seu restituidor. A vítima é que tem a fraqueza, logo é ela que receberá o poder, a restituição. A justiça de Deus foi executada em Jesus no meu lugar, então agora entenda que todo prejuízo é uma oportunidade de 120% de devolução por tudo o que lhe roubaram. Por isso, Paulo se gloriava. Receba 120% mais saúde, alegria, dinheiro etc. no que você foi roubado.

Os fracos e roubados são os candidatos, porque Cristo, na cruz, o que Ele não furtou. Toda negociação é com Deus, não é com quem o prejudicou. Ele restitui o que não roubou, não procure a vingança. Seu marido, seu chefe o prejudicou mas Jesus restitui 120% do que Ele não roubou. Então, entendemos o motivo da vibração de Paulo. Ele viu o lucro na fraqueza e no sofrimento. Pedro foi o que o negou três vezes, o que mais errou com Ele. Foi lhe dada liderança, o lugar de pastor mais do que o resto que não falhou na mesma área do pecado. “Apascenta minhas ovelhas”.  Em Pentecostes, Pedro pregou e 3 mil foram salvos. A mesma boca que pecou foi usada para salvar. Isso é restituição.

E todo aquele que tiver deixado casas, ou irmãos, ou irmãs, ou pai, ou mãe [ou mulher], ou filhos, ou campos, por causa do meu nome, receberá muitas vezes mais e herdará a vida eterna. (Mt 19.29). Tornou Jesus: Em verdade vos digo que ninguém há que tenha deixado casa, ou irmãos, ou irmãs, ou mãe, ou pai, ou filhos, ou campos por amor de mim e por amor do evangelho. (Mc 10.29). Todo o evangelho é o evangelho da graça, e se você está sofrendo por amor a esse evangelho, você receberá cem vezes mais nesta vida.

3- Os últimos serão os primeiros
Mateus 19.30 – Porém muitos primeiros serão últimos; e os últimos, primeiros. (Mt 20.1).
Porque o reino dos céus é semelhante a um dono de casa que saiu de madrugada para assalariar trabalhadores para a sua vinha. (Mt 20.16). Verificar o motivo de ter colocado duas referências aqui e solucionar o problema. Se os dois versículos citam a mesma coisa, jogar essa referência aqui para dentro dos parênteses, abreviado, e com ponto e vírgula depois da primeira referência. Assim, os últimos serão os primeiros, e os primeiros serão últimos [porque muitos são chamados, mas poucos escolhidos]. Ele fez um sanduíche aqui para explicar o que significa o último ser primeiro. Para o primeiro grupo, Ele fez acordo salarial, mas para o último grupo, não fez acordo, apenas disse que eles fossem trabalhar (v.7). Eles confiaram nele e foram trabalhar na vinha, sem acordo. Quando foram receber (v. 9), receberam por uma hora o salário de um dia.

Esse último grupo é o da geração da undécima hora. A undécima hora é a geração da graça. Versos 11 e 12 – os que tinham trabalhado com base na justiça reclamaram porque ganharam o mesmo que os últimos, equivalente a dez vezes menos.  A lei exige justiça, a graça você confia na sua bondade e ela permite a Deus manifestar a bondade do seu coração. Eles confiaram na bondade do senhor da lavoura e isso deu a ele a oportunidade de manifestar a sua bondade. Quando você quer negociar, você jamais poderá provar da bondade da graça. Não queira justiça hoje, reconheça que é fraco e confie n’Ele. Você receberá bondade, favor, graça. Assim, os últimos serão primeiros, e os primeiros serão últimos [porque muitos são chamados, mas poucos escolhidos]. (Mt 20.16).
Ele escolhe os que confiam no coração de Deus e não colocam condições de negociação para ele. Esses recebem graça, conhecem a bondade.

Outra parábola lhes propôs, dizendo: O reino dos céus é semelhante a um grão de mostarda, que um homem tomou e plantou no seu campo; o qual é, na verdade, a menor de todas as sementes, e, crescida, é maior do que as hortaliças, e se faz árvore, de modo que as aves do céu vêm aninhar-se nos seus ramos. (Mt 13.32).

Então, disseram os apóstolos ao Senhor: Aumenta-nos a fé. Respondeu-lhes o Senhor: Se tiverdes fé como um grão de mostarda, direis a esta amoreira: Arranca-te e transplanta-te no mar; e ela vos obedecerá. (Lc 17.5,6).

Amoreira da família da figueira – seja arrancada até a raiz e seja plantada no mar. Lance fora a justiça própria. Justificados pela fé, temos paz com Deus, em tudo na nossa vida. Se você olhar para a fé, continuar vendo mesmo a fé pequena, ela será suficiente para obedecer-lhe sempre, em todas as circunstancias. Direis – continue dizendo, continuamente, até que aconteça. A primeira vez que você fala, você não vê, mas as raízes são afetadas. Continue vendo a fé e falando, quando você menos imaginar, a árvore será arrancada. Não limite Deus. A fé pequena, como o grão de mostarda, é uma fé de quem tem fraqueza, por isso receberá poder. Para os que têm a fé pequena, os que estão fracos, estes receberam poder a fim de que o nome d’Ele seja glorificado.

Eu não preciso lhe dar sete passos para ser fraco ou cinco para ser o último. Mas se você é o último ou o fraco, você está na mira da graça. Prepare-se para ser mudado de posição. Não frustre a graça de Deus. Quando você orar e sua oração não for perfeita, sua fé não for perfeita, apenas faça na confiança para que a graça encontre a sua fraqueza e manifeste o seu poder. O seu lugar e a sua condição de fraqueza é a oportunidade de Deus derramar favor. Agradeça a Deus por causa da limitação, ela é um ponto de oportunidade para a glória de Deus.

Perguntas:
1- Como é possível deixar de receber a graça?
2- O que significa restituição?

Tags