Os dois momentos da volta do Senhor

por Aluízio Silva, pastor da Videira – Igreja em Células

De um modo geral, as pessoas têm uma visão genérica das verdades da Palavra de Deus. Elas dizem superficialmente que todos os crentes que creem em Jesus são salvos e serão arrebatados. De fato, isso é uma verdade, porém trata-se de uma explicação genérica demais sobre as verdades bíblicas. Precisamos compreender que o Novo Testamento fala a respeito de dois arrebatamentos: um antes da grande tribulação e outro após ela. O primeiro arrebatamento é para estarmos diante do trono, e o segundo, para encontrarmos com o Senhor nos ares.

No capítulo 12 de Apocalipse, vimos que o filho varão foi arrebatado para o trono. Esse arrebatamento acontece antes dos mil duzentos e sessenta dias. Mas, no fim da grande tribulação, quando Jesus vier, Ele arrebatará os santos que aqui permaneceram para encontrar com Ele nos ares. São dois eventos distintos. Um é o arrebatamento dos vencedores, o outro é o arrebatamento da maioria dos crentes para os ares. Um acontecerá antes da grande tribulação, o outro acontecerá depois dela. O que vai acontecer antes da grande tribulação não tem sinais, é como o ladrão, ninguém sabe o dia e nem a hora. Já o arrebatamento que ocorrerá após ela não será segredo, pois será precedido de uma série de sinais.

 

  1. O arrebatamento dos crentes vencedores

A volta de Jesus será definitivamente antes do milênio, o arrebatamento dos vencedores será antes da grande tribulação, mas o arrebatamento dos crentes para os ares com Cristo será na última trombeta, que soará no fim da grande tribulação.

 

A necessidade

A grande tribulação é uma realidade bíblica. Ela certamente virá. Serão dias tão severos que terão de ser abreviados se alguns tiverem de ser salvos (Mt 24.21-22). O dia da ira de Deus há de vir sobre todos os que habitam sobre a terra (Lc 21.34-35). Este será o tempo do último selo ou das sete trombetas. A grande tribulação virá de forma repentina e abrupta como as dores de parto para a mulher grávida. E isso acontecerá quando estiverem falando de paz e segurança (1Ts 5.3).

 

Este também será o tempo em que o diabo descerá à terra com grande ira. Nessa época, ele saberá que seu tempo é curto e fará o possível para atormentar o homem (Ap 12.12). Todavia, é um fato que o tempo da ira de Deus sobre o mundo não diz respeito aos santos, à igreja do Senhor. Já fomos livrados da ira de Deus por causa da obra do Calvário. Cristo já sofreu toda a ira para que hoje possamos desfrutar de paz com Deus.

 

Ainda assim, devemos ansiar por sermos arrebatados antes da grande tribulação, porque a Palavra de Deus é enfática ao afirmar que o grande dragão fará guerra contra o restante dos descendentes da mulher, que já estudamos no capítulo 12. Já vimos que a mulher no capítulo 12 é a totalidade do povo de Deus, incluindo tanto a igreja como os filhos de Israel. Estes são dois grupos: os que guardam a lei e os que guardam o testemunho de Jesus. O dragão fará guerra contra eles (Ap 12.17).

 

Nesse tempo, muitos santos serão martirizados pelo anticristo, pois lhe será dada autoridade para persegui-los (Ap 13.7). Não estamos aguardando esses terríveis eventos, estamos aguardando o arrebatamento para sermos livres dessas perseguições.

 

A promessa

Existem promessas de que poderemos nos livrar daquelas perseguições e angústias que deverão acontecer (Lc 21.34-36). Se nós vigiarmos e orarmos, poderemos escapar dessas coisas que têm de suceder. Que coisas são essas? A grande tribulação. Deus tem uma promessa para os seus santos. Ela, porém, é condicional, é preciso vigiar e orar para não se embriagar com as preocupações deste mundo. Para sermos arrebatados, temos de cumprir essas condições. Devemos estar acordados enquanto os outros estão dormindo. Temos de nos preservar das orgias, da embriaguez, dos cuidados desta vida e guardar a palavra da perseverança. Todos os crentes fazem isso? Sabemos que nem todo crente está vigiando e orando. Portanto, é claro que nem todos serão arrebatados. Para mim, parece claro que muitos estão embriagados.

 

Qual é a provação que há de vir sobre o mundo inteiro (Ap 3.10)? Certamente é a grande tribulação. O Senhor está dizendo que aquela igreja será guardada porque ela guardou a palavra da perseverança. É uma promessa condicional. Sabemos que há crentes que não têm guardado a palavra da perseverança, por isso também não serão guardados da hora da tribulação.

 

O fato

A Palavra de Deus diz que um será tomado e deixado o outro (Mt 24.39-44). Muitos descartam esse versículo, dizendo que ele se refere apenas aos judeus. Na verdade, uma parte do capítulo 24 se refere aos judeus, mas não essa. O capítulo 24 de Mateus é a resposta de Jesus a três perguntas feitas pelos discípulos: Quando sucederá estas coisas? Qual será o sinal da sua vinda? E qual será o sinal da consumação dos séculos? (Mt 24.3).

 

A primeira pergunta se refere aos judeus e é respondida do verso 1 até o 28. A segunda pergunta também se refere aos judeus e é respondida do verso 29 ao 31. Portanto, Mateus 24, do verso 1 ao 31, se refere aos judeus, mas a partir do verso 32, o Senhor responde à terceira pergunta, que trata da consumação dos séculos, e isso indiscutivelmente se refere à igreja. A primeira parte referente aos judeus é literal, enquanto a segunda é basicamente alegórica e espiritual, porque se refere à igreja.

 

O verso 42 deixa claro que essa profecia do arrebatamento se refere a crentes, pois a exortação é para aqueles que têm o Senhor. Alguns pensam que o que foi deixado não era crente. O texto, porém, diz que não sabemos a que hora virá o nosso Senhor. O Senhor não é senhor dos incrédulos e nem manda incrédulos vigiarem. Esse texto, portanto, se refere apenas a pessoas convertidas. A questão do arrebatamento é colocada de maneira simples, ambos os crentes estarão trabalhando, um será tomado e deixado o outro.

 

Ao ouvir essa palavra, não pense que agora você deve se envolver somente com “coisas espirituais”. Pode ser que, a partir de agora, você queira levar uma vida regrada pela religião. Preste atenção, não há nenhum versículo na Bíblia que nos oriente a viver assim. Pelo contrário, o Senhor nos ensina que precisamos trabalhar para ganhar a vida, para ter dignidade e comer o nosso pão sem depender de outros. Enquanto fazemos essas coisas seculares, devemos manter o nosso coração em Deus.

 

O fato de um dos crentes ser levado não significa que o outro que foi deixado não seja salvo. Ele apenas não estava maduro, não fazia parte daquela colheita em condições de ser colhida. Os dois que estarão no campo serão a mesma coisa por fora, mas interiormente serão diferentes. O que diferencia os dois irmãos é a questão da maturidade. Os crentes vencedores são aqueles que estão maduros e prontos para serem colhidos. Não é que uma era trigo, e o outro, joio. Ambos são trigo, mas um trigo já está maduro, por isso será colhido primeiro.

 

O momento

Não existem sinais do tempo do arrebatamento. Ele pode acontecer a qualquer momento. O que podemos dizer com certeza é que o arrebatamento dos crentes vencedores acontecerá antes da grande tribulação (Ap 3.10). A Palavra de Deus não diz depois de quanto tempo após o arrebatamento a grande tribulação começará, mas parece-nos que não será logo em seguida. A grande tribulação também é chamada de “mil duzentos e sessenta dias” ou “um tempo, dois tempos e metade de um tempo”. Em Apocalipse 12.5-6, vemos claramente que o filho varão é arrebatado antes desse tempo.

 

 

O lugar

Como já mencionamos anteriormente, a promessa de Lucas 21.36 é que aqueles que vigiarem e orarem escaparão da grande tribulação e estarão de pé diante do Filho do Homem, ou seja, diante do trono. Apocalipse 7.15 também menciona que os arrebatados estarão diante do trono. E, depois de estudarmos o capítulo 12, descobrimos que o filho varão representa os crentes vencedores, e ali o filho varão é arrebatado para estar diante do trono. Ambos os textos mostram que o arrebatamento dos vencedores será para estar diante do trono. O arrebatamento dos vencedores é completamente diferente do arrebatamento dos demais crentes. Estes serão arrebatados para os ares (1Ts 4.17), mas os vencedores, para o terceiro céu.

 

As condições

Como já foi dito, as promessas do arrebatamento são condicionais. Existem condições que precisamos cumprir se desejamos participar do arrebatamento dos vencedores.

 

A primeira condição é vigiar e orar (Lc 21.36). Muitos dizem que basta ser salvo para ser arrebatado. Mas aqui se diz que é preciso vigiar e orar também. Se bastasse ser salvo, não precisaria vigiar e nem orar. Mas aqui está claro que só escaparão dessas coisas, ou seja, da grande tribulação, os que estiverem vigiando e orando. Quando falo de orar, refiro-me a uma vida de oração. Não é simplesmente orar durante o culto, mais viver uma vida de prática de oração. É orar enquanto estuda, enquanto trabalha. Sua vida é uma oração continuada. O que significa vigiar? É estar acordado no meio das trevas. Vigiar para não cair em tentação, vigiar para não cair no erro, vigiar para não ter o tipo de conduta do mundo.

 

A segunda condição é ficar apercebido (Mt 24.40-44). Não deixamos nem uma questão não resolvida e nem deixamos nada inconcluso. O Senhor está dizendo que devemos estar prontos. O que é estar pronto? É estar com a vida arrumada e correta. Se há mágoas, resolva cada uma delas. Se há demandas, que sejam resolvidas. Se há pecados não confessados, que sejam abandonados. Procure estar pronto para se encontrar com Deus.

 

A terceira condição é ter a lâmpada acesa e estar vestido com o linho finíssimo, que são os atos de justiça dos santos (Lc 12.35-40).

 

A quarta condição é amar a vinda do Senhor (2Tm 4.8). Amar sua vinda é ter no coração um desejo ardente de estar com o Senhor. Muitos não desejam, não esperam e nem amam a vinda do Senhor. Tais não são vencedores. Por fim, precisamos também ser fiéis à palavra de Deus e guardá-la no coração. Não seguimos tradições ou religiões humanas, mas seguimos a palavra viva de Deus. Quando agimos assim, somos perseguidos e resistidos, por isso precisamos guardar a palavra com perseverança (Ap 3.10).

 

 

  1. A volta do Senhor nas nuvens

 

O fato

No capítulo 14 de Apocalipse, há dois grupos. O primeiro grupo é chamado de primícias (v. 4) e está diante do trono (v. 3). O segundo é descrito como sendo a ceifa (vv. 14-16). Ora, se temos as primícias e depois a ceifa, é porque existem dois tipos de trigo. As primícias são o trigo que amadureceu primeiro e a ceifa é a colheita final.

 

Paulo está falando, em 1 Tessalonicenses 4.15-17, da volta do Senhor, que acontecerá depois do soar da trombeta, a última trombeta. Veja bem que, na volta do Senhor, muitos crentes ainda serão arrebatados para encontrar com Ele nos ares. Esses crentes terão passado pela grande tribulação.

 

O momento

O momento do arrebatamento da maioria dos crentes está muito claro na Palavra de Deus. Primeiramente, ele será por ocasião da última trombeta, ou a sétima, que marcará o fim da grande tribulação (1Co 15.52; 1Ts 4.16).

 

Assim, aqueles que ensinam que todos os crentes serão arrebatados antes da grande tribulação estão em absoluto desacordo com a Palavra de Deus, pois a última trombeta somente soará no fim da grande tribulação (Ap 10.7; 11.15).

 

A Palavra de Deus também é absolutamente clara ao afirmar que o arrebatamento da maioria dos santos será depois da manifestação do anticristo, portanto no fim da grande tribulação (2Ts 2.1-4).

 

Apocalipse 12 mostra que, depois que o filho varão for arrebatado, o restante da descendência da mulher será perseguido. A mulher só será arrebatada depois de ser perseguida pelo anticristo por três anos e meio (Ap 12. 5, 14, 17).

 

Apocalipse 14.14-16 nos mostra claramente que o tempo do arrebatamento da maioria dos santos será na consumação dos séculos. Essa consumação dos séculos é chamada de ceifa (Mt 13.39). Depois de tudo isso, podemos dizer que a época do arrebatamento da maioria dos santos é bem conhecida, pois nos é dito que será na sétima trombeta, próxima ao fim da grande tribulação.

 

O lugar

Os vencedores serão arrebatados para o trono, depois a maioria dos santos será arrebatada no fim da grande tribulação para o encontro do Senhor nos ares. Isso ocorrerá após a vinda do anticristo, após a perseguição e tudo o que está preparado para a grande tribulação. Nesse tempo, o restante da igreja será arrebatada e se encontrará com o Senhor nos ares. Então, fica muito claro que há duas formas de sermos crentes. Há os crentes que vigiam, oram e guardam a palavra da perseverança e por isso serão guardados na grande tribulação, e há aqueles que não foram encontrados prontos e por isso vão passar pela grande tribulação. Será um tempo em que serão perseguidos, disciplinados e preparados para ser arrebatados e encontrar-se com o Senhor nos ares. Depois disso, eles estarão maduros e farão parte da ceifa.

 

A condição

A condição para o arrebatamento da maioria dos crentes é que a seara esteja madura (Ap 14.15). Para participarmos desse arrebatamento, basta apenas crer no Filho de Deus como Senhor e salvador.

 

Perguntas para compartilhar:

  1. Quando acontecerá o arrebatamento dos vencedores e para onde irão?
  2. Defina os momentos da volta do Senhor.
  3. Há dois tipos de crentes. Quais são?

© 2017 Igreja Videira. Todos os direitos reservados | Desenvolvido por Alisson Martins