Ofertar, um ato de amor

Vós sois o sal da terra; e se o sal for insípido, com que se há de salgar? Para nada mais presta senão para se lançar fora, e ser pisado pelos homens. (Mt 5.13).
Os filhos de Deus são chamados para ser a diferença neste mundo. Divinamente capacitados, são comissionados para fazer discípulos nas nações, curar e libertar através da ministração do evangelho da graça, assim como são chamados para uma vida prática de testemunho, na qual diariamente devem expressar em atitudes e palavras a qual reino pertencem.

O testemunho pessoal engloba todas as áreas da vida de um filho de Deus, inclusive a área financeira. Deus é o dono de todas as coisas, e seus filhos – como cooperadores de sua obra – tornam-se mordomos, a fim de cuidar daquilo que pertence a Ele. A desonestidade, a corrupção em relação ao dinheiro tem sido cada vez mais frequente no cotidiano mundial. Contudo, a igreja é aquela que deve salgar através da honestidade e fidelidade, características fundamentais de um mordomo. A mordomia envolve tanto o dinheiro quanto as demais questões do dia a dia. O fato é que não somente dez por cento ou uma parte ofertada é do Senhor, mas tudo. Porém, noventa por cento lhe foi confiado para que você administre. A compreensão de que tudo é do Senhor lhe dará um melhor direcionamento de como gastar o que está em suas mãos, pois isso será feito não de maneira desordenada ou sem oração, mas sob dependência da vontade de Deus.

Por que ofertar é importante?
A oferta foi exemplificada pelo próprio Deus ao entregar o seu Filho em favor dos que cressem (Jo 3.16), deixando o princípio de que quem ama doa. Assim sendo, a oferta é também uma forma de expressar o seu amor a Deus. Além disso, ela se torna indispensável porque:
– faz você parecido com Deus;
– direciona o seu coração para Deus;
– honra a Deus;
– é um investimento;
– traz a bênção;
– dar é melhor do que receber;
Uma vez que o dízimo é para proteção – e mandamento divino (Lv 27.30) –, a oferta é para prosperidade, uma semeadura (Pv 3.9,10). Ofertar a Deus não é, portanto, o cumprimento de uma obrigação, e sim demonstração de amor, de algo dado graciosamente.

A que é destinada?
De forma prática, a oferta auxilia no mantimento da obra. É através dela que obreiros e pastores são auxiliados, novos prédios são construídos, projetos de evangelismos são executados, tudo com o alvo de que vidas sejam alcançadas. O objetivo final da oferta é a expansão do reino de Deus, é proporcionar meios para que a Palavra de Deus não deixe de ser disseminada.

Não perca a oportunidade
No fim do ano, no dia 31, durante o culto da virada, você terá a oportunidade de demonstrar, através das finanças, a sua gratidão e fidelidade a Deus. Será recolhida a oferta das primícias como ato de consagração do primeiro ao Senhor. Os envelopes específicos já podem ser obtidos com os servos responsáveis no culto de celebração. Seja mais um voluntário para o crescimento da obra de Deus!

Fonte: Apostila Curso de Finanças – Aluízio A. Silva.

Tags