O relacionamento dos seus sonhos

Quero compartilhar com você alguns princípios que o ajudarão depois do casamento. Não quero que você sofra o que eu sofri. Não tive o privilégio de conhecer esses princípios no tempo de minha conversão. Eu amo a minha esposa e dou graças a Deus porque, depois de muita luta e oração, conseguimos vencer os problemas, mas muitas pessoas não conseguem vencer porque não têm oportunidade de ter alguém do lado para ajudá-las. E o que era um grande sonho se torna um pesadelo para o resto da vida.

Uma nova mentalidade? 
Se você quer sair do padrão mundano do namoro, precisa ter uma atitude nova em relação à maneira de se relacionar. Muitas pessoas têm uma mentalidade errada sobre a cruz. A cruz é a vontade de Deus para nós. O alvo não é nos fazer sofrer, mas sim matar o velho homem a fim de que possamos viver uma vida de ressurreição. Para o morto, não existe pecado. O morto está liberto porque ele não tem tentação alguma. O alvo da cruz é “matá-lo”, uma vez que o casamento é um perdão constante. Quem está namorando não conversa, porque a língua está ocupada com outras coisas. Mas se você decide pela corte, haverá conversas e conhecerá o que cada um é. A boca fala do que está cheio o coração. Se a outra pessoa não falou nada de Deus, é porque ela não tem nada de Deus. Se o jovem conhece uma pessoa e não a toca, não a agarra, então poderá encontrá-la depois sem acusação, sem culpa, sem constrangimentos. Não será como tomate de feira, que já passou na mão de várias pessoas.

Imaginemos um jovem vivendo o dia a dia da igreja, o qual se envolve em um “namoro de crente”, no padrão mundano, que apenas “tira” o sexo, porém continua com as carícias, os beijos apaixonados e talvez algumas coisas mais durante esse namoro, mas depois de algum tempo, esse relacionamento não dá certo e eles terminam. No futuro, ele se casa com outra moça da igreja, e a outra pessoa também, e agora ambos são amigos, estão dentro da mesma igreja. Num belo dia, todos estão almoçando juntos, os dois casais, e ele olha e pensa: “Nossa, eu já beijei a mulher desse irmão! Ou pior: “Ela já agarrou o meu marido no passado!” Que coisa horrível! Que sensação estranha! Será que isso se parece com a família de Deus? Será que está certo? Penso que não. Sabemos que falar é mais fácil que fazer. Sabemos disso, mas o que a Bíblia está dizendo é que nós, como nascidos de novo, como filhos de Deus, somos chamados para mudar a maneira de pensar, fomos chamados para uma mudança de mentalidade. Um grande problema hoje no meio da igreja é que existem muitas pessoas nascidas de novo, mas com mentalidade antiga, são “gregas”. Mesmo no mundo, o sexo fora do casamento é errado, é pecado, não é de Deus, e as pessoas, embora não admitam, sabem disso. Então, a pessoa se converte e até aceita isso. Mas, em relação ao modo de pensar sobre outras coisas, a sua mente ainda é antiga, velha. 

Somos casa de Deus. Carregamos o Espírito Santo dentro de nós, mas o mundo colocou na cabeça de muitos jovens a mentalidade de que estar quase nu na frente das pessoas é normal, eles acham isso normal, e sua mente se acostumou com isso. São jovens que nasceram de novo, mas mantêm a velha mente. O diabo distorceu os conceitos e a roupa, que era feita para cobrir, agora é feita para provocar. Essa mentalidade velha, influenciada por demônios, diz que cobrir é caretice. Sensualidade é um espírito. Se há alguém nu da santidade de Deus, é melhor que, de fato, esse espírito da sensualidade se demonstre em suas roupas e então Deus possa tratá-lo.

O padrão da roupa de Deus é aquela que não precisa ser puxada. Roupa foi feita para cobrir. Homens de Deus não se casam com mulheres mundanas. O profano atrai o profano, o mundano atrai o mundano, e o profundo, o profundo. Muitos chegam à igreja achando que o amor está ligado a carícias. “Tudo bem, só não posso mais transar, o resto continua igual”, pensa o novo convertido. Esta é uma mentalidade mundana. Amor não é isso, é compromisso. Encontrar alguém que o faça feliz, esta é a mentalidade mundana. Mas a verdadeira alegria está em encontrar alguém para fazê-lo feliz. Entende a diferença? Isso é amor, sempre buscar o melhor para o outro. Há padrões errados, e a Bíblia diz que precisamos mudar. Fomos criados para ser semelhantes ao Senhor. A santidade vem da verdade. Não há santidade real sem base na Bíblia.

Se não formos influenciados pela Palavra, não podemos avançar, não podemos ter nossa vida transformada. O padrão de Deus não se ajusta à mentalidade mundana, é completamente contrário a ela. O relacionamento, para nós Radicais Livres não é um pequeno ajuste que os crentes fizeram no namoro, tirando o sexo e continuando com tudo mais que envolve a lascívia, os beijos, os abraços e os amassos. Para nós, é total conversão dessa mentalidade, é o rompimento completo com todo e qualquer contato físico que nos leve à impureza, é uma amizade comprometida com um possível casamento debaixo da bênção, acompanhamento e permissão dos pais.

Pr. Naor Pedroza

Tags