O elemento-chave para a presença de Deus

Uma das coisas mais importantes na prática da vida da igreja é a presença de Deus. Porque, quando temos a presença de Deus, podemos ver o seu poder se manifestando entre nós. Se desejamos ter uma célula viva, precisamos ter a presença de Deus nessa célula. Há três elementos-chave para experimentarmos a presença de Deus. Deus já está presente entre nós, mas precisamos experimentar essa presença. Para isso, precisamos de três elementos. Esses três elementos podem ser encontrados em todas as religiões, inclusive no Velho Testamento.

Para que as pessoas experimentassem a presença de Deus, elas deveriam, em primeiro lugar, ir ao templo. Em todas as religiões, as pessoas precisam ir ao templo, porque o templo é o lugar da habitação de Deus. Mesmo tendo o templo no Velho Testamento, não era possível entrar nele sem o segundo elemento: o sacerdócio. No Antigo Testamento, uma pessoa comum não poderia entrar no templo, mas deveria ficar no átrio. É a mesma coisa em outras religiões. Em Israel, os sacerdotes eram os levitas.

Mas o sacerdote não pode entrar no templo sem o terceiro elemento: o sacrifício. O sacerdote não poderia entrar no templo sem o sacrifício de animais. Qual é, pois, a diferença entre o Velho Testamento e o Novo Testamento?
Também vós mesmos, como pedras que vivem, sois edificados casa espiritual para serdes sacerdócio santo, a fim de oferecerdes sacrifícios espirituais agradáveis a Deus por intermédio de Jesus Cristo. (1 Pe 2.5)

Nesse versículo, podemos ver esses três elementos: o templo, o sacerdote e o sacrifício. Esses três elementos são muito importantes, mas muitos cristãos não os compreende. A diferença entre o cristianismo e todas as outras religiões, inclusive o judaísmo do Velho Testamento, é que elas possuem esses três elementos separadamente, mas no cristianismo essas três coisas são apenas uma. Àquele que nos ama, e, pelo seu sangue, nos libertou dos nossos pecados, e nos constituiu reino, sacerdotes para o seu Deus e Pai, a ele a glória e o domínio pelos séculos dos séculos. Amém! (Ap 1.5-6)

As pessoas do mundo ficam confusas quando perguntam aos cristãos onde está o seu templo e eles respondem que eles mesmos são o templo. Não temos um prédio, porque o templo somos nós. Porque o nosso Deus não habita em prédios, mas Ele vive em nós e entre nós. Nós somos todos pedras vivas, nós somos a casa. Eles, então, perguntam: “Onde está o seu sacerdote?” E dizemos que nós somos os sacerdotes. Nós somos um reino de sacerdotes. Isso significa que, em nosso reino, todos os membros são sacerdotes. Então, eles perguntam: “Onde estão os sacrifícios de vocês?” O nosso sacrifício é chamado de “o Cordeiro de Deus”. Ele já morreu na cruz e derramou o seu sangue. Ele é o nosso sacrifício.

O Novo Testamento é o tempo em que todos os crentes são pedras vivas e são edificados casa para Deus. Todos os membros são sacerdotes e oferecem sacrifícios, e o nosso sacrifício hoje vive em nós e entre nós. Infelizmente, de forma inconsciente, muitos crentes não acreditam nisso. Ainda acreditam que o prédio é o templo de Deus e o chamam de santuário. É por isso que as pessoas mudam o seu comportamento quando entram no santuário. Elas imaginam que Deus habita ali. O prédio, que não é casa de Deus, nós santificamos, mas o nosso corpo, o verdadeiro templo, nós não santificamos.

Inconscientemente, nós também não acreditamos que todos os crentes sejam sacerdotes, mas somente os pastores vestidos de terno. Pensamos que somos apenas os leigos. Não deveríamos chamar um membro de leigo, pois a palavra leigo no grego é idiotés. Assim, quando chamamos uma pessoa de “leigo”, nós o estamos chamando de idiota. Os nossos membros não são leigos, mas são todos sacerdotes. Qual é, pois, a função do sacerdote? A palavra-chave para definir o sacerdote é mediador. Ele é mediador entre as pessoas e Deus. No Velho Testamento, o significado da palavra “sacerdote” era “ponte”. Nós somos a ponte, nós ficamos na brecha. O sacerdote precisa ser o mediador para se colocar entre o homem e Deus. O Senhor Jesus foi constituído sumo sacerdote. Ele trouxe de volta os pecadores para Deus e também trouxe Deus até os pecadores porque Ele é o mediador. Ele entrou no Santo dos Santos no céu levando o seu próprio sangue e hoje podemos entrar na presença de Deus por causa do ministério da reconciliação.

Como são os sacerdotes? Eles são uma figura de cada cristão. Nós fomos constituídos reis e sacerdotes. O entendimento comum e errado é que os homens de negócios são reis e os pastores das igrejas são sacerdotes. Mas a Bíblia não diz isso. No Velho Testamento, reis e sacerdotes eram funções separadas, mas o Novo Testamento não diz que alguns são reis e outros são sacerdotes, mas declara claramente que cada crente é um rei e sacerdote. Isso não é posição, mas uma função. Todo crente é as duas coisas, ele reina com Jesus como rei e ministra como sacerdote real. O Senhor Jesus é a cabeça, e nós somos o seu corpo. Ele é o sumo sacerdote, e nós somos os sacerdotes. Jesus é o Rei dos reis, e nós somos reis. Nós reinamos junto com Jesus e ministramos com Ele como sacerdotes.

Fonte: A revolução dos de um talento – Pr. Aluízio A. Silva

Tags