Multiplique sua célula

A maneira como você semeia determina a quantidade e a qualidade dos frutos

por Cristiano César, Pastor na Videira Garavelo – Goiânia (GO)

O sonho de todo líder é multiplicar sua célula, e se você nunca ouviu falar do “plano de ação para multiplicar a sua célula”, este conteúdo pode levar sua célula e liderança para outro nível.

Todo líder de célula é um semeador, e toda multiplicação é fruto de uma semeadura. A maneira como você semeia determina a quantidade e a qualidade dos frutos. Só quem está na liderança sabe o desafio que tem pela frente. Muitas vezes, investimos tempo e finanças na obra do Senhor Jesus Cristo, mas as coisas não saem como o previsto. Às vezes, não conseguimos avançar no propósito que Deus colocou em nosso coração. Quero compartilhar como vencer as barreiras e romper cada fase da sua célula, a fim de que você possa alcançar o seu alvo de multiplicação.

Fomos escolhidos para frutificar, porém uma árvore só frutifica se primeiramente for plantada em uma terra boa. Portanto, antes de edificar a árvore, precisamos cuidar da terra e deixá-la descansar para o tempo de plantio, chamamos isso de comunhão. Após o tempo de descanso da terra, vem o tempo de semear e regar, e então a árvore começa a ser edificada. Depois disso, os frutos começam a nascer. Vem, então, o tempo de colher os frutos e iniciar um novo ciclo, chamamos isso de edificação e evangelismo.

Mas existe um detalhe que deve percebido durante o plantio de uma árvore: se cada um desses períodos for estendido ou muito curto, isso prejudicará a colheita dos frutos. Por exemplo: se a terra descansar demais, naturalmente será afetada pelas condições climáticas e isso afetará a germinação da semente plantada; se a semente for plantada e não for regada, irá morrer; mas se for regada em demasia, poderá gerar uma árvore carente de nutrientes, e isso prejudicará os frutos, fazendo com que eles venham a nascer impróprios para o consumo. Também, se um fruto for gerado e a colheita demorar a ser feita, ele pode apodrecer ou sofrer ataques de pragas e pássaros ao redor.

Em nossas células, também temos o tempo de deixar a terra descansar, semear, regar, frutificar e colher os frutos. Todas essas etapas são nomeadas de comunhão, edificação, evangelismo e multiplicação. Toda fase tem o seu tempo de início e fim.

Deus é a base para o crescimento, a dependência de Deus é a chave da multiplicação, e quando nos colocamos à disposição do Espírito Santo, a obra se torna grande (Jo 15.1-3).

Um dos motivos por que algumas células não rompem é a falta de planejamento dos líderes, os quais precisam conhecer e planejar as fases da célula o quanto antes para conseguir os resultados pelos quais estão investindo nos santos. A primeira coisa é saber se sua célula está em perfeito funcionamento.

As quatro fases da célula

Comunhão/integração 

Na lavoura, há o momento de deixar a terra descansar, este não é o momento de trabalhar, descanso é energia. Se na sua célula é momento de comunhão, saiam juntos, divirtam-se, conheçam uns aos outros, ganhem o coração, em todo o tempo falem de Cristo e sejam edificados, agora é tempo de “serem um”, terem tudo em comum.

Consolidação/edificação

Agora é o momento de começar a trabalhar nos materiais, entortar o ferro, trabalhar na areia, na terra, colocar os tijolos um sobre o outro, fazer o fundamento; é o momento na lavoura de cavar a terra, tirar as pedras, pegar a madeira, fazer os buracos, colocar as sementes e ir regando e cuidando. Nessa fase, é momento de treinamento. É preciso visitar cada um, preocupar-se com o anjo da guarda, gerando Cristo em todos; é momento de fazer oração pelas células, fazer reuniões de orações, ativar o compartilhamento da Palavra e edificar as pessoas.

Evangelização

Casa construída, chame os filhinhos para dentro da casa; cada membro edificado, todos vão querer que outros desfrutem. Foi assim que Deus fez, sua glória eterna, seu estilo de vida chamou outros como nós para participar disso. A célula edificada vai querer trazer outros também para fazer parte dessa comunhão. Nessa fase, é o momento da lavoura, é momento da colheita, todos querem estar envolvidos, todos vão colher os frutos.

Multiplicação

É o momento de efetivar aquilo que já veio acontecendo desde a fase da edificação, os novos anfitriões, os novos líderes, é o momento de olhar para a planta e almejar expandir o reino, uma nova casa, um novo líder, novos bairros, ganhando assim toda a cidade para Cristo.

O conhecimento a respeito das quatro fases é de extrema importância. Agora que já checou o funcionamento da sua célula em relação às fases, podemos seguir. Mas, antes, quero destacar algo importante: apesar de as células possuírem fases diferentes e os líderes as notificarem nos relatórios, independentemente da fase da célula, alguns líderes seguem sempre da mesma forma, com o mesmo padrão: quebra-gelo, louvor, oferta, compartilhamento da palavra, momento de fé e lanche. Aquele que está na fase da comunhão não está fazendo nada a respeito, como dinâmicas voltadas para comunhão, dinâmicas que poderiam gerar conhecimento, intimidade, amor, segue tudo a esmo, entregue à própria sorte, e o mesmo acontece com a palavra de oferta, comunhão e rotina da célula.

É necessário planejar as fases da sua célula. Principalmente os momentos como quebra-gelo, louvor, palavra de oferta, momentos de comunhão e eventos-ponte, todos devem ser adequados a cada fase.

Isso é possível através de um plano de ação. Caso alguém lhe pergunte em que data começou sua fase de comunhão e quando ela termina, bem como sua fase de edificação e a de evangelização e quando elas terminam, e a data da sua multiplicação, você saberia responder? Você precisa definir as datas para cada fase e compartilhar isso com a sua célula. Ao planejar a vida da célula, poderá alcançar resultados extraordinários. Normalmente, temos o alvo, a data da multiplicação, porém precisamos saber como chegar lá. Para isso, devemos fazer o plano de ação da célula, definindo cada fase.

© 2017 Igreja Videira. Todos os direitos reservados | Desenvolvido por Alisson Martins