Multiplicação

Não fazemos a multiplicação acontecer. Não há como multiplicar uma célula na força humana. Atos 2.42 menciona uma série de coisas que acontecia na igreja e, como consequência de tudo isso, o Senhor acrescentava dia a dia os que iam sendo salvos. Atração, envolvimento e reprodução resultam em multiplicação. Esta geração só será conquistada através de células que se multipliquem. Nosso alvo é que essa multiplicação aconteça uma vez por ano. Esses quatro elementos podem ser ilustrados na vida
de Zaqueu em Lucas:

Entrando em Jericó, atravessava Jesus a cidade. Eis que um homem, chamado Zaqueu, maioral dos publicanos e rico, procurava ver quem era Jesus, mas não podia, por causa da multidão, por ser ele de pequena estatura. Então, correndo adiante, subiu a um sicômoro a fim de vê-lo, porque por ali havia de passar. Quando Jesus chegou àquele lugar, olhando para cima, disse-lhe: Zaqueu, desce depressa, pois me convém ficar hoje em tua casa. Ele desceu a toda a pressa e o recebeu com alegria. Todos os que viram isto murmuravam, dizendo que ele se hospedara com homem pecador. Entrementes, Zaqueu se levantou e disse ao Senhor: Senhor, resolvo dar aos pobres a metade dos meus bens; e, se nalguma coisa tenho defraudado alguém, restituo quatro vezes mais. Então, Jesus lhe disse: Hoje, houve salvação nesta casa, pois que também este é filho de Abraão. Porque o Filho do Homem veio buscar e salvar o perdido. (Lc 19.1-10)

A primeira coisa que vemos é o poder de atração de Jesus. Lembre-se, a primeira parte do processo é a atração. Zaqueu sentiu uma atração irresistível a ponto de subir em uma árvore para ver Jesus. O ato de subir na árvore fala de atração. Jesus era um ímã extraordinário. Talvez ninguém subirá em uma árvore para ver você. Mas pode, às vezes, encostar o ouvido na janela para ouvir a célula cantando. Isso tem acontecido conosco muitas vezes. Na sua célula, deve haver essa atração. Onde não há atração, nada acontece.

A segunda parte do processo foi que Jesus se dispôs a ir hospedar-se na casa de Zaqueu. Isso é envolvimento. Ele viu Zaqueu e disse: “Zaqueu, eu preciso ficar na sua casa”. Zaqueu entendeu o que significava isso. Ele deveria ir embora, arrumar o quarto de hóspede, ele sabia que precisaria comprar comida para Jesus e os discípulos. Observe que Jesus o envolveu com a amizade, mas também o envolveu com uma atividade. Zaqueu já podia fazer algo para Jesus. Comer com alguém era um laço de amizade tão claro que as pessoas começaram a falar, chamando Jesus de amigo de pecadores. Jesus queria envolvê-lo, e todo envolvimento tem seu preço.

Ao chegar à casa de Zaqueu, Jesus não foi para um quarto orar até ficar pronta a comida. Creio que Zaqueu se sentou com Ele para aprender. Fazendo isso, Jesus o consolidou com o seu ensino. O resultado foi o terceiro nível do processo, houve reprodução. A Bíblia diz que Zaqueu, depois de ouvir Jesus ensinando, levantou e disse: “Senhor, resolvo dar aos pobres a metade dos meus bens; e, se nalguma coisa tenho defraudado alguém, restituo quatro vezes mais”. Por que ele tomou essa iniciativa? Porque havia aprendido com o Senhor e agora estava agindo como um seguidor de Jesus. Ele foi atraído por Jesus, depois foi consolidado e envolvido, mas, por fim, ele foi discipulado a ponto de dar a metade dos bens aos pobres.

E onde está o último estágio? A multiplicação pode ser vista porque Jesus disse que a salvação entrou na casa, indicando que toda a família de Zaqueu se converteu e certamente muitos pobres que ganharam o dinheiro também.

Fonte: 21 Dias na vida de um líder de célula – Pr. Aluízio A. Silva

Tags