As provas do amor de Deus

“A coisa mais importante para uma vida cristã saudável é ter a plena consciência de que você é filho de Deus e é amado”

É impressionante o quanto essa breve porção da Palavra de Deus contém provas tão contundentes do amor de Deus por nós, e hoje queremos compartilhar essas boas novas daquele que tanto nos amou e nos ama, o nosso Senhor Jesus Cristo, que por nós se entregou. O texto começa dizendo que Ele tem nos abençoado com todas as sortes de bênçãos espirituais em Cristo, ou seja, não fica nada de fora. Todas essas bênçãos são prova do seu grande amor por nós, que é a grande chave da vida cristã vitoriosa, o fato de que Ele nos ama. Após o versículo 3, os versículos 4 a 14 apresentam uma lista de todas as bênçãos espirituais com as quais Deus nos tem abençoado. Paulo coloca pelo menos oito. Vamos compartilhar hoje as três primeiras bênçãos que mostram o seu grande amor por nós. 1. Escolhidos para sermos santos (v. 4) 2. Predestinados para sermos filhos (v. 5) 3. Recebemos a glória da graça de Deus (v. 6) a. Primeira bênção: escolhidos para sermos santos (v. 4) Fomos escolhido n’Ele. Muitos homens de Deus têm ensinado essa verdade, ela não é de homem, vem de Deus. Nessa mensagem, chegamos à eleição de Deus (1.4), à questão de termos sido escolhidos para ser santos. A escolha de Deus é sua primeira bênção concedida a nós. Entre inúmeras pessoas, Ele nos escolheu. Isso não é incrível e maravilhoso?! Pensar que, entre tantas pessoas melhores do que nós, e apesar de nós, Ele nos escolheu porque nos ama e nos amou mesmo antes de existirmos?


1. ESCOLHIDOS N’ELE

Deus nos escolheu n’Ele, isto é, em Cristo. Cristo foi a esfera na qual fomos selecionados por Deus. Fora de Cristo, não somos sua escolha. Esta escolha é chamada de doutrina da eleição. Todo cristão precisa saber que as bênçãos espirituais não vieram a ele porque ele era bom ou possuía algum mérito, mas unicamente porque foi escolhido por Deus antes da fundação da mundo. Não fomos nós que escolhemos a Deus, antes, Ele nos escolheu (ler Jo 15.16). Não podemos nem mesmo dizer que nos convertemos, na verdade, fomos convertidos. Estávamos todos mortos no pecado, como poderíamos ir a Deus? O fato é que Ele veio a nós porque nos havia escolhido (Ef 2.1). Aqui nos deparamos com um mistério profundo e assombroso, e há somente duas explicações para uma afirmação tão estonteante. A primeira é que fomos escolhidos por Deus simplesmente por causa da sua vontade, do seu bom prazer, da sua satisfação, independentemente de qualquer coisa que tenhamos feito. A segunda explicação é que Paulo está dizendo que os cristãos que gozam essas bênçãos foram escolhidos antes da fundação do mundo por causa da sua presciência ou pré-conhecimento. É como se Deus soubesse de antemão aqueles que creriam n’Ele e então os escolheu na eternidade. Parece ser isso o que Pedro diz em sua carta. Eleitos, segundo a presciência de Deus Pai, em santificação do Espírito, para a obediência e a aspersão do sangue de Jesus Cristo, graça e paz vos sejam multiplicadas.

(1 Pe 1.2) Independentemente da forma como encaramos a eleição, precisamos ter diante de nós a reverência completa de reconhecermos o que a Palavra de Deus diz: Ele nos escolheu. Como Ele fez isso não somos capazes de entender ou explicar, mas nos submetemos ao seu governo soberano. A Palavra de Deus não argumenta, apenas afirma: fomos escolhidos (2Ts 2.13). Eleição – Nenhum de nós, por natureza, gostamos dessa doutrina. O homem natural odeia essa doutrina porque nenhuma outra mostra a incapacidade humana de se salvar como ela. Nada mostra com mais clareza a natureza do pecado e as suas consequências quanto a doutrina da eleição. Nada começou em nós: nossa busca, nossa adoração, nosso interesse por Deus, tudo começou e começa n’Ele. Uma vez que é Deus quem me salva, sou incapaz de perder a salvação, uma vez que Ele me escolheu antes da fundação do mundo. Ele não muda, Deus é imutável, somos salvos para sempre. Os teus olhos me viram a substância ainda informe, e no teu livro foram escritos todos os meus dias, cada um deles escrito e determinado, quando nem um deles havia ainda. (Sl 139.16)

2. ANTES DA FUNDAÇÃO DO MUNDO

O versículo 4 diz que Deus nos escolheu antes da fundação do mundo, na eternidade passada. A expressão “antes da fundação do mundo” indica que o universo foi estabelecido para a existência do homem a fim de cumprir o propósito eterno de Deus. O homem é o ponto central de seu propósito eterno. Tudo Ele criou pensando em nós e para nós. Quão grande amor!

3. PARA SERMOS SANTOS (V. 4)

Deus nos escolheu para que fôssemos santos. Segundo o conceito natural, santidade é ausência de pecado. De acordo com esse conceito, alguém é santo se não pecar, mas isso é absolutamente errado. Santidade não é ausência de pecado nem é perfeição. Santo significa mais que ser separado para Deus, significa ser diferente e especial, distinto de tudo o que é comum. Somente Deus é diferente, distinto de todas as coisas. Portanto, Ele é santo; a santidade é sua natureza. A maneira de Deus nos fazer santos é colocar-se a si mesmo dentro de nós, para que todo o nosso ser seja permeado e cheio com a sua natureza santa. Para nós, os escolhidos de Deus, ser santo é participar da sua natureza divina (2Pe 1.4) e ter todo o nosso ser permeado com o próprio Deus (Sl 82.6; 2Pe 1.4). Portanto, ser santo significa ser um com Deus. É incrível pensar nesse amor que nos elegeu e separou para sermos participantes de uma classe exclusiva que não existe na criação, a classe à qual o próprio Deus, e somente Ele, pertence. Nunca mais pense que você é apenas mais um, Ele o fez para a espécie mais superior que possa existir, a d’Ele.

4. IRREPREENSÍVEIS (V. 4)

Sem mácula – O versículo 4 também diz que fomos escolhidos n’Ele para ser irrepreensíveis, ou seja, sem mácula. Uma mácula é como uma partícula estranha em uma joia preciosa. Os escolhidos de Deus devem ser cheios somente do próprio Deus e não ter nenhuma partícula estranha, tais como coisas do homem natural caído, a carne, o ego ou coisas mundanas. Isso é ser sem mácula, sem qualquer mistura. Após ser totalmente lavada pela água na Palavra, a igreja é santificada desse modo (5.26-27). Mas a grande notícia do seu amor aqui é que Deus nos tornou irrepreensíveis diante d’Ele, pois estamos naquele que é perfeito, Cristo, que se tornou nossa justiça e perfeição. Isso, mais uma vez, mostra a classe da criação a que pertencemos e nos coloca na posição especial de podermos nos achegar à presença do Pai como um filho que cumpriu todas as condições para receber tudo o que o Pai pede. É muita graça.

5. PERANTE ELE (V. 4)

Sermos santos e sem mácula perante Ele. “Perante Ele” quer dizer ser santos e sem mácula aos olhos de Deus de acordo com o seu padrão divino. Isso nos qualifica a permanecer em sua presença e desfrutá-la. Aos olhos de Deus, não há nada de errado em você. É isso que quer dizer esse versículo. Logo, Deus não está zangado com você, pelo contrário, está feliz e satisfeito. Isso significa que você pode ter paz e alegria em viver com o Pai e pode se aproximar sem medo, tendo a certeza de que é aceito e amado, porque, aos seus olhos, você cumpriu todas as exigências e é perfeito. Tudo isso em Cristo.

6. EM AMOR (V. 4)

A versão Revista e Atualizada faz da expressão “em amor” adjunto do verbo predestinar. Outras versões, como a Corrigida e a Bíblia de Jerusalém, colocam a expressão como adjunto do verbo ser. Creio que esta é a melhor colocação. Seremos santos e sem mácula perante Ele em amor. Amor aqui se refere ao amor com o qual Deus ama os seus escolhidos e com o qual os seus escolhidos o amam. É nesse amor que os escolhidos de Deus tornam-se santos e irrepreensíveis perante Ele. A santidade revelada na Bíblia é absolutamente diferente dos ensinamentos de hoje a respeito da autocorreção e melhora de comportamento. Primeiramente, somos separados para Deus, e então somos continuamente cheios d’Ele até que toda a mistura em nós seja tragada pela natureza de Deus. b. Segunda bênção: fomos predestinados para sermos filhos (v. 5) A primeira bênção é que fomos escolhidos n’Ele antes da fundação do mundo, mas a segunda é que não apenas fomos escolhidos, mas o fomos para sermos filhos de Deus antes mesmo de Ele ter nos criado. Precisamos ser regenerados a fim de sermos seus filhos. Deus nos escolheu e por isso nos marcou, nos predestinou. Predestinar significa “marcar de antemão”. Ele nos elegeu e depois nos marcou de antemão para certo destino. Deus nos predestinou para a filiação por meio de Jesus Cristo.

DE ACORDO COM O BOM PRAZER DE SUA VONTADE (V. 9)

Deus nos predestinou para a filiação de acordo com o beneplácito (bom prazer) de sua vontade, que é o seu propósito. Deus não predestinou ninguém para o inferno, os homens vão para lá porque escolheram os caminhos do pecado. O inferno foi preparado para o diabo e seus anjos. A vontade de Deus é que todos sejam salvos (1Tm 2.4). Entretanto, o homem escolhe fugir de Deus. Dispensação – Deus deseja muitos filhos. Ser santo é ser unido com Deus. Ser santo é questão de natureza, mas ser filho é questão de sermos colocados na forma de Cristo. Os filhos de Deus são pessoas conformadas ao molde que é Cristo. Não temos somente sua natureza santa, mas também a pessoa de seu Filho. No cristianismo de hoje, vemos pessoas salvas, mas ainda comuns e mundanas, sem nenhuma santidade. Embora tenham sido lavadas no sangue e regenerados pelo Espírito, ainda não têm a marca de santidade em seu viver. Ser filho é ter o Espírito do Filho de Deus. Deus nos predestinou para a filiação, colocando o Espírito de seu Filho em nós. Quando cremos no Senhor Jesus e somos regenerados, o Espírito de Deus entra em nós como Espírito do Filho de Deus. Por isso, podemos clamar: “Aba, Pai – Papaizinho – “. Intimidade, o Espírito Santo nos dá essa liberdade. Ser filho é ter a vida e a natureza do Filho de Deus. Somos filhos gerados de fato (Tg 1.18). A semente de Deus foi colocada em nós – temos a mesma semente do Pai em nós, assim como o homem caído nasce com a semente do diabo nele. Não fomos adotados, fomos gerados. Ser filho é desfrutar da posição de filhos de Deus. Ser filho é ter a intimidade de chamar “Paizinho”, porque temos o Filho de Deus em nós. Segundo, porque temos a natureza. E terceiro é termos a posição de filho e podermos usufruir tudo, ter a liberdade. Por sermos filhos de Deus, herdamos tudo o que é d’Ele e tudo o que Ele tem. c. Terceira bênção: a graça de Deus nos fez agradáveis a Ele (v. 6 – VC) Para entendermos a glória da graça de Deus, precisamos ter revelação da nossa filiação, nossa posição de filhos e herdeiros. A graça de Deus nos faz agradáveis a Ele. No amado, nós desfrutamos do favor e do amor de Deus.

A palavra usada por Paulo é a mesma usada em Lucas 1.28, onde o anjo diz que Maria foi muito favorecida. Altamente favorecida e agraciada por carregar o Ente Santo, o Filho de Deus. Também somos favorecidos e agraciados, pois carregamos o Filho de Deus dentro de nós (Cl 1.27). Maria carregou Jesus por nove meses, nós o carregamos para sempre. Este Filho de Deus que carregamos em nós é chamado de “o amado” (Mt 3.17, 17.5). Não fazemos ideia do quanto Deus o ama, Ele que é o próprio Deus, que sempre existiu. Toda a dor, vergonha, humilhação e separação experimentada na cruz foi por aquele que é amado eternamente por Deus. Mandar para o sacrifício qualquer um não é difícil, mas mandar o amado não compreendemos. Isso mostra uma medida do amor do Pai por nós. Deus fez de seu Filho um pecador por nós, para que, n’Ele, fôssemos feitos justiça de Deus (2Co 5.21). Mas o amado nos foi enviado justamente para revelar-nos o quanto somos amados de Deus. Ele nos ama do mesmo jeito que ama a Jesus. Nós somos os filhos nos quais Ele tem todo prazer (Jo 17.23 e Sf 3.17). Será que somos capazes de ouvir uma voz do céu hoje dizendo que somos amados de Deus? Essa voz está clamando em nosso espírito – somos amados de Deus, somos tão amado quanto Ele é. A coisa mais importante para uma vida cristã saudável é ter a plena consciência de que você é filho de Deus e é amado, altamente favorecido do amado de Deus. Se temos revelação, nossa vida, nossos posicionamentos serão alterados. É o amor de Deus que cura a nossa alma e nos faz ter paz e viver livres.

PERGUNTAS PARA COMPARTILHAR:

1. Qual é a sua percepção acerca do amor de Deus?
2. O que tem impedido muitas pessoas de desfrutarem da posição de filho?








Tags