A prosperidade dos que andam na verdade

Que darei ao SENHOR por todos os seus benefícios para comigo? Tomarei o cálice da salvação e invocarei o nome do SENHOR. (Sl 116.12-13)

Davi pergunta a si mesmo o que ele poderia dar ao Senhor por todas as bênçãos que tinha recebido. Sua resposta é maravilhosa: ele diz que vai tomar o cálice da salvação, ou seja, vai pedir mais e receber mais. Quando somos gratos, não paramos de pedir, mas pedimos mais ainda. Não permita que ninguém o faça sentir-se culpado por pedir mais do Senhor. O prazer do Senhor é nos dar sempre mais. Sua vontade é que desfrutemos de alegria e completo suprimento em todas as áreas de nossa vida. Qualquer coisa que roube sua paz, sua alegria, sua saúde, seus relacionamentos ou família não procede de Deus, mas vem do maligno. Em 3 João 2, o Senhor diz que a sua vontade é que sejamos prósperos e abençoados em cada aspecto de nossa vida. Prosperamos quando andamos na verdade.

Amado, acima de tudo, faço votos por tua prosperidade e saúde, assim como é próspera a tua alma. (3Jo 2)

Esta é a última epístola de João. Ele já era bem idoso, tinha andado com Jesus e visto a sua glória. Ele sabia que a vontade do Pai é sempre abençoar, mas mesmo assim orou pela prosperidade e saúde de um discípulo amado. Aquele discípulo já tinha uma alma próspera, porque certamente orava e meditava na Palavra, mas João queria que ele também tivesse saúde e prosperidade na mesma medida; para isso, ele orava. É possível ter uma alma próspera e não ter prosperidade nem saúde no corpo. Não é algo que acontece automaticamente.

João foi alguém que deitou no peito de Jesus e ouviu o coração do Pai. Ele sabia que, acima de tudo, precisamos ter saúde e prosperidade, mas sabia que é preciso orar por isso. A prosperidade financeira e a saúde seguem na mesma proporção da prosperidade da nossa alma. A expressão “assim como”, no verso 2, significa na mesma proporção, na mesma intensidade. Em outras palavras, João diz: “Faço votos que você seja próspero na mesma proporção que a sua alma é próspera”. Isso significa que a sua prosperidade nos negócios, em sua carreira, em seu ministério e até mesmo em sua saúde física será na mesma proporção da prosperidade da sua alma.

A nossa alma é constituída de mente, vontade e emoções. Quando nossa alma é próspera, nossas emoções são saudáveis, não vivemos deprimidos e angustiados, nem andamos murmurando e reclamando da vida. Somos cheios de alegria e descanso, desfrutando de vida plena. É maravilhoso ver que, quando a nossa alma prospera, todas as outras áreas prosperam sem fazermos nenhum grande esforço. Mas como a nossa alma pode prosperar? No verso 3, João diz que a alma de Gaio era próspera porque ele andava na verdade. Assim, andar na verdade é o segredo de tudo. João sabia que Gaio poderia ter prosperidade e saúde porque ele andava na verdade.

Pois fiquei sobremodo alegre pela vinda de irmãos e pelo seu testemunho da tua verdade, como tu andas na verdade. Não tenho maior alegria do que está, a de ouvir que meus filhos andam na verdade. (3Jo 3.4)

Mas o que é andar na verdade? Alguns dirão que é não mentir, mas dizer sempre a verdade, porém não é disso que trata o texto. Outros mais profundos dirão que é andar na palavra de Deus. Certamente, a nossa atitude para com a palavra de Deus tem poder de nos fazer prosperar. Em Josué 1.8, o Senhor manda que falemos, meditemos e pratiquemos a palavra, e o resultado é que seremos bem-sucedidos. Também lemos a mesma verdade no Salmo 1. Aquele que medita na palavra de Deus será como árvore junto a ribeiros de águas, que é bem-sucedido em tudo o que faz.

Mas a palavra de Deus pode ser algo muito genérico. O que é a palavra de Deus? Se alguém ficar somente em Êxodo 20, estará na palavra de Deus, mas não conhecerá a verdade. Ou ele pode querer seguir as leis de Levítico, que é palavra de Deus, mas não receberá vida. Portanto, qual é a palavra de Deus que nos faz prosperar? Qual parte da palavra de Deus tem poder de renovar a nossa mente e nos transformar, como diz Romanos 12? Qual parte da Escritura pode nos fazer prosperar e ser bem-sucedidos? É àquilo que João chama de verdade. Conhecer a verdade nos faz livres, mas andar na verdade nos faz prósperos (Jo 8.32).

O que é a verdade? Veja bem o que o Senhor Jesus disse no Evangelho de João.

Disse, pois, Jesus aos judeus que haviam crido nele: Se vós permanecerdes na minha palavra, sois verdadeiramente meus discípulos; e conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará. (Jo 8.31-32)

A palavra à qual o Senhor se refere é sempre a palavra da graça. Os judeus conheciam os mandamentos de Moisés, portanto a palavra de Jesus não se refere à lei. A verdade não é a lei do Velho Testamento, pois esta os judeus já conheciam e não tinham experimentado libertação, mas a verdade do evangelho agora poderia libertá-los. A verdade é a graça do evangelho. Como podemos afirmar isso? Precisamos sempre nos lembrar de que a Bíblia é seu próprio intérprete. No livro de Gálatas, Paulo nos esclarece o que é a verdade. Houve um momento na vida de Pedro em que Paulo teve de repreendê-lo. Paulo diz que Pedro não estava andando de acordo com a verdade do evangelho.

A verdade é a graça do evangelho. Assim, quando cremos no evangelho, nós desfrutamos de prosperidade e saúde. Ao dizer que Gaio andava na verdade, João estava dizendo que ele andava segundo a graça do evangelho. Você tem andado na verdade? Você crê todos os dias que os seus pecados são perdoados? Você crê que recebeu a justiça de Cristo? Quando algum ensino nos leva a duvidar dessas realidades, deixamos de andar na verdade. Lembre-se de que a verdade é, antes de tudo, aquilo em que cremos, por isso crer corretamente faz toda a diferença.

É evidente que precisamos nos encher da Palavra de Deus, mas lembre-se de que no princípio era o Verbo (a Palavra), e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. E o Verbo (a Palavra) se fez carne e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade. Porque a lei foi dada por intermédio de Moisés; a graça e a verdade vieram por meio de Jesus Cristo (Jo 1.1-17). A verdade não é a lei de Moisés, a verdade é a graça de Deus, que é Cristo. Andar na verdade é andar na graça do evangelho. Essa verdade é o centro da Palavra de Deus. Quando nos enchemos da palavra da verdade, então nossa alma é próspera e todas as outras áreas de nossa vida prosperarão igualmente.

João diz que o resultado de andarmos na verdade é que nos tornamos cooperadores da verdade (v. 8). O propósito da prosperidade é podermos cooperar com aqueles que pregam o evangelho.

Amado, procedes fielmente naquilo que praticas para com os irmãos, e isto fazes mesmo quando são estrangeiros, os quais, perante a igreja, deram testemunho do teu amor. Bem farás encaminhando-os em sua jornada por modo digno de Deus; pois por causa do Nome foi que saíram, nada recebendo dos gentios. Portanto, devemos acolher esses irmãos, para nos tornarmos cooperadores da verdade. (3 Jo 5.8)

Ouça a palavra da graça para que a sua alma prospere. Leia a palavra da graça. Compartilhe essa palavra da graça e, acima de tudo, ande na verdade do evangelho da graça e veja a sua alma prosperando, sua saúde crescendo e suas finanças debaixo de bênção. Ele nos dá força para adquirir riquezas.

Não digas, pois, no teu coração: A minha força e o poder do meu braço me adquiriram estas riquezas. Antes, te lembrarás do SENHOR, teu Deus, porque é ele o que te dá força para adquirires riquezas; para confirmar a sua aliança, que, sob juramento, prometeu a teus pais, como hoje se vê. (Dt 8.17-18)

Cuidado com a justiça própria. Não pense que você tem poder ou é o originador das suas bênçãos. Tribute toda glória a Deus. Tudo nos é dado pela sua graça, o favor imerecido. Mas quando presumimos que fomos nós que merecemos, anulamos a graça de Deus. Deus não nos dá riqueza, mas nos dá poder para adquiri-las. É Ele quem abre os nossos olhos para ver a oportunidade, nos dá sabedoria para fazer negócios e depois nos faz prósperos. A Palavra de Deus diz claramente que as riquezas são uma confirmação da aliança. Se a Velha Aliança era confirmada com riqueza, muito mais a Nova Aliança, que está firmada em superiores promessas, também suprirá abundantemente cada um de nós. A riqueza da glória (Is 60.1-5).

Como muitas profecias do Velho Testamento, essa profecia de Isaías possui duas aplicações. A primeira é natural e se refere ao povo de Israel nos últimos dias. Mas, do ponto de vista espiritual, refere-se a nós, a igreja. Nós podemos nos levantar hoje e deixar resplandecer a glória de Deus em nós. Em nossos dias, os reis das nações são os presidentes de corporações multinacionais.

A promessa é que, mesmo que as trevas do mundo estejam aumentando, a nossa luz vai brilhar cada vez mais. E quando resplandecermos em glória, as riquezas das nações virão a nós. Muitos não se sentem confortáveis em prosperar, mas a verdade é que somente podemos ajudar a obra de Deus se tivermos recursos. Só podemos ser bênção se formos prósperos. Eu sempre gosto de observar a primeira menção de qualquer assunto na Palavra de Deus, e a primeira menção da palavra “glória”, que é kabod em hebraico, está em Gênesis 31.

Então, ouvia Jacó os comentários dos filhos de Labão, que diziam: Jacó se apossou de tudo o que era de nosso pai; e do que era de nosso pai juntou ele toda esta riqueza. (Gn 31.1)

Os filhos de Labão fizeram acusações falsas contra Jacó, dizendo que ele havia juntado toda a sua riqueza às custas de Labão. A palavra “riqueza” aqui é kabod no original hebraico. A primeira aplicação da palavra “glória” nas Escrituras se refere a riquezas. A palavra kabod é derivada de outra palavra hebraica, kabed, que significa peso. Dar glória a Deus é dar peso, importância à sua palavra e à sua presença. E a primeira vez que a palavra kabed é mencionada na Bíblia é em Gênesis 13, onde se diz que “Abrão era muito rico; possuía gado, prata e ouro” (Gn 13.2). A palavra “rico” nesse versículo é kabed no original. Abraão era cheio de glória, ou seja, de riquezas. Normalmente, associamos a palavra glória apenas a brilho, esplendor e majestade. Também gostamos de dizer que aqueles que partiram estão na glória. Tudo isso está correto, mas eu gostaria de lembrá-lo que glória é mais do que isso, porque o Senhor Jesus disse que Ele nos transmitiu sua glória.

Eu lhes tenho transmitido a glória que me tens dado, para que sejam um, como nós o somos. (Jo 17.22)

Hebreus 2.10 diz que o Senhor Jesus morreu e ressuscitou para conduzir muitos filhos à glória. O Senhor já nos deu da sua glória. A única glória que ainda não recebemos é a glorificação do nosso corpo. Mas quando Ele se manifestar, nós receberemos um novo corpo. Todavia, hoje o Senhor já nos transmitiu a sua glória. Eu creio que está incluído nessa glória a riqueza das nações. Quando nos levantarmos para resplandecer, a glória do Senhor virá sobre nós, e o resultado é que as riquezas das nações também virão a nós.

Perguntas para compartilhar:

  1. Você tem andado na verdade?
  2. A verdade é a graça do evangelho. Como se pode afirmar isso?

© 2017 Igreja Videira. Todos os direitos reservados | Desenvolvido por Alisson Martins